Publicidade

Notícias de saúde

Avanços na Cirurgia do Coração

O Hospital Israelista Albert Einstein em São Paulo está participando de um estudo internacional com uma técnica inédita para o tratamento da reestenose – doença causadora de uma obstrução de uma artéria coronária que se entupiu durante uma cirurgia de angioplastia. A radioterapia intracoronariana para a reestonose foi feita pela primeira vez na América Latina pelo Hospital Albert Einstein, na última semana. O hospital já realizou o tratamento em cinco pacientes.

O problema de reestenose geralmente acontece em grande parte dos pacientes com entupimento de artéria submetidos à cirurgia do coração. Para desentupir esta artéria, normalmente é feito uma angioplastia, com implantação de um balão que dilata a área entupida, ou também com o uso de stent – tubo cilíndrico composta de uma malha metálica resistente e fina. Em casos mais graves, os médicos optam por uma ponte de safena.

Através do uso da radioterapia intracoronariana é reduzida em torno de 50%, a chance de uma pessoa de apresentar reestenose. As recentes pesquisas nos Estados Unidos sobre o assunto mostram que após seis meses da cirurgia, se a pessoa não sofrer um novo entupimento, ela não terá o problema, pois é este o período de cicatrização. O Hospital Albert Einstein em São Paulo possui um protocolo de estudos assinados com o FDA – Food and Drug Administration.

Copyright © 2000 BoaSaúde

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: