Publicidade

Artigos de saúde

Gripe, não banalize esta doença!

Neste artigo:

- Introdução
- Conhecendo melhor a gripe
- Complicações
- Cuidados
- Vacina contra gripe

"O inverno chegou e com ele o aumento das infecções respiratórias. Nesta época do ano é importante uma boa alimentação e a vacinação preventiva.  A principal doença respiratória aguda que também pode ser severa, resultando em risco de vida e que aumenta a sua incidência nos meses de inverno é a Gripe."

Introdução

A Gripe é considerada, para o a maioria das pessoas e também para muitos clínicos, uma doença banal e sem grande importância. Mas ao contrário do que se pensa, ao longo dos séculos a gripe têm feito muitas vítimas. Atualmente cerca de 15% da população é anualmente atingida pelo vírus influenza e estima-se que ocorram de 10 a 15 mil mortes por ano no Brasil por quadros iniciados pela gripe e que acabam derivando em pneumonias ou descompensando doenças crônicas, como as cardíacas ou a diabetes, ou outras doenças pré-existentes.

Conhecendo melhor a gripe

A gripe é uma doença respiratória aguda, causada pelo vírus Influenza (A e B). É transmitida por via aérea e ocorre em surtos e epidemias em todo o mundo, a cada ano, principalmente durante os meses de inverno.

Muitos confundem o resfriado com a gripe, mas são doenças diferentes, inclusive causadas por agentes diferentes. O resfriado pode ser causado por mais de 200 vírus diferentes, sendo o principal deles o rinovírus, e como já foi dito, a gripe é causada pelo vírus Influenza. Em geral, o resfriado é uma doença mais leve que a gripe. Vai atacando gradualmente a pessoa, com tosses irritativas, dores e cansaço leves. Coriza e dor de garganta são comuns e a dor de cabeça ocorre raramente. Já a gripe vem de súbito, é praticamente possível distinguir a hora exata em que ela começou, provocando tosse seca, febre alta (38oC ou mais), dores musculares fortes e mal-estar geral. Com pelo menos dois desses sintomas, já é possível ter praticamente 70% de certeza do diagnóstico de gripe. O período de incubação da gripe é de um a três dias e, no geral, os efeitos permanecem por uma semana, variando conforme o paciente. Outra importante diferença entre o resfriado e a gripe, é que o risco de vida no resfriado é desconsiderado, enquanto na gripe ele é real.

Apesar da maioria das pessoas acreditar que a gripe e os resfriados resultem da exposição ao ar frio do inverno as pesquisas mais recentes mostram que os famosos "golpes de ar" possuem pouco ou nenhum efeito no desenvolvimento destas doenças - o problema está na queda da umidade (que favorece a proliferação dos vírus) e na maior aglomeração de pessoas em locais mal-ventilados. Dieta, exercícios e amígdalas aumentadas também não parecem relacionar-se com o aumento da susceptibilidade. Por outro lado, estresse emocional, doenças das vias aéreas superiores (desvio de septo, adenóides, etc) e irregularidades no ciclo menstrual aumentam o risco de acometimento.

Complicações

A maior preocupação na gripe é quanto as suas complicações. As principais complicações da gripe são a pneumonia produzida pelo próprio vírus (primária), pneumonia bacteriana, sinusite, bronquite, acometimento do sistema nervoso central. As complicações da gripe podem acontecer em qualquer idade, contudo, os idosos e as pessoas com problemas crônicos de saúde (como enfisema ou diabetes) apresentam uma probabilidade muito maior de desenvolver complicações mais sérias.

Cuidados (prevenção e tratamento)

A melhor forma de prevenir a gripe e suas complicações é através da vacinação. Outra importante maneira de prevenir a gripe, e muito menosprezada, é lavar as mãos freqüentemente, evitando contato com os olhos, nariz e boca. Não há evidências científicas que comprovem que a vitamina C possa prevenir a gripe.

E para enfrentar a gripe, mantenha uma alimentação saudável, beba bastante líquido, durma bem e descanse. Em caso de febre e dor pode-se utilizar analgésicos e antitérmicos. E consulte seu médico sempre!

Existem atualmente no mercado drogas antivirais que se administradas nos primeiros dois dias após o aparecimento dos sintomas, prometem abrandar a severidade e reduzir a duração da gripe. Mas lembre-se que todo medicamento deve ser prescrito pelo médico.

Vacina contra gripe

A vacina contra gripe previne a infecção ou suas complicações. Consiste em preparados de vírus inativos que crescem em ovos. Selecionam-se anualmente os vírus da Influenza A e B esperados para cada temporada, por isso a necessidade de revacinação anual, pois os vírus se modificam a cada ano. A vacina tem efeitos adversos muito raros e é efetiva em aproximadamente 95% dos casos. O pico de anticorpos, ou seja, a proteção máxima contra o vírus Influenza, ocorre em 3 a 4 semanas após a vacinação, isso justifica a prudência de uma campanha programada para ocorrer entre os meses de abril e junho, época de circulação viral máxima da infecção no Brasil. A proteção conferida pela vacina tem duração de aproximadamente 1 ano.

Quem deve ser vacinado:

  • Toda pessoa maior de 6 meses de idade compreendida nos grupos de alto risco (doenças crônicas associadas como insuficiência cardíaca, bronquite crônica, asma, fibrose cística, etc; e pacientes com diabetes, insuficiência renal, imunossupressão ou enfermidades do sangue).
  • Trabalhadores de saúde em contato com pacientes de alto risco.
  • Qualquer pessoa que deseje reduzir as possibilidades de adoecer de gripe durante o inverno.
  • Maiores de 65 anos, em especial residentes de clínicas geriátricas ou outras internações crônicas.
  • Mulheres que estão no 2o ou 3o trimestre de gravidez durante o outono ou inverno (época de influenza).

Contra indicações para a vacinação:

  • Alergia ao ovo.
  • História de reação adversa severa após a dose anterior.
  • Alergia a outros componentes da vacina.
  • Enfermidade febril ativa (deve esperar-se até que os sintomas se resolvam); um resfriado comum não é contra-indicação.

Cuide-se para que essa indesejável visitante do inverno não atrapalhe os bons momentos dessa estação!

Copyright © 2005 Bibliomed, Inc.                   04 de Julho de 2005



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: