Melhores hábitos de sono podem ajudar na redução do risco de doença cardíaca e na perda de peso

Comment

Sono

Dormir bem, por tempo suficiente e com horas de dormir regulares, além de atender às diretrizes American Heart Association’s Life’s Simple 7, pode ajudar a reduzir o risco de ataques cardíacos, acidente vascular cerebral e outras doenças cardiovasculares. Melhores padrões de sono também podem ajudar as pessoas a alcançar e manter um peso corporal mais saudável, de acordo com uma pesquisa preliminar apresentada no Epidemiology and Prevention | Lifestyle and Cardiometabolic Health (EPI|LIFESTYLE 2020) Scientific Sessions, que ocorreu de 03 a 06 de março de 2020, em Phoenix, Estados Unidos.

O estudo Multi-Ethnic Study of Atherosclerosis envolveu 1.920 adultos, com díade média de 69 anos, de seis centros, que participaram de um exame de sono de sete dias e foram acompanhados por uma média de quatro anos e meio. Os resultados sugerem que o sono deve ser adicionado como uma oitava métrica de saúde cardíaca ao Life’s Simple 7 (LS7) da American Heart Association. O LS7 é usado pelos prestadores de serviços de saúde para avaliar a saúde cardiovascular de um indivíduo usando sete métricas: uso de tabaco, peso corporal, dieta, atividade física, colesterol, pressão arterial e níveis de glicose.

O estudo comparou o escore LS7 com novos escores de saúde cardíaca que incluem hábitos de sono, além das sete métricas de saúde cardíaca já estabelecidas. Os pesquisadores descobriram que quando a duração do sono, a medida mais simples e direta do sono, foi incluída como oitava métrica da saúde do coração, o escore de saúde do coração foi mais fortemente associado à doença cardíaca.

Os participantes que tiveram a duração do sono mais saudável (7-8 horas/noite) durante um estudo do sono, além de cumprir as diretrizes do LS7, tinham 61% menos chances de ter um diagnóstico de doença cardíaca, em comparação com as pessoas que tiveram as pontuações mais baixas.

Notavelmente, os escores de saúde cardíaca que consideraram comportamentos do sono, como dormir mal, dormir menos de sete horas ou nove ou mais horas por noite e/ou duração irregular do sono e horas de dormir, além de distúrbios do sono, como apneia e insônia, mostraram as associações mais fortes com o aumento do risco de doença cardíaca.

Aqueles que tiveram comportamentos saudáveis ​​de sono e não tinham distúrbios de sono, além de conhecerem o LS7, tinham uma probabilidade até 59% menor de sofrer um ataque cardíaco, acidente vascular cerebral, insuficiência cardíaca ou outro evento cardiovascular no momento do estudo e até 44% menos risco de desenvolver doença cardíaca quatro anos e meio depois.

Fonte: Epidemiology and Prevention | Lifestyle and Cardiometabolic Health (EPI|LIFESTYLE 2020) Scientific Sessions. 03 a 06 de março de 2020. Phoenix, Estados Unidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *