Publicidade

Notícias de saúde

Importância da Angioplastia Precoce no Infarto

Por Merritt McKinney

NEW YORK, (Reuters Health) - pacientes infartados que podem ser beneficiados pela angioplastia devem realizar o procedimento o mais precoce possível. Um estudo de pacientes submetidos ao procedimento observou que aqueles tratados mais de duas horas após chegar ao pronto socorro tiveram de 40% a 60% maior probabilidade de morrer no hospital do que aqueles tratados dentro das primeiras duas horas.

Angioplastia é um tratamento relativamente novo para infartos, disponível nos principais atendimentos de urgência. O estudo atual, assim como anteriores, apontou que os centros médicos de maior êxito são aqueles que mais utilizam este procedimento.

Com base nestes achados, hospitais e médicos deveriam agir no sentido de reduzir o tempo entre admissão hospitalar e angioplastia nos centros que fazem o procedimento.

"Atualmente, apenas cerca de 50% dos pacientes são tratados dentro das primeiras duas horas”, cada hospital tem que se examinar para checar que parte do processo gasta mais tempo. "Você realmente tem que forçar e se certificar que cada um está movendo tão rápido quanto possível", disse o Dr. Christopher P. Cannon, do "Brigham and Women's Hospital" em Boston, Massachusetts, para a Reuters Health.

As pessoas devem ir ao departamento de emergência do hospital mais próximo tão logo sintam sintomas de ataque cardíaco. Quanto mais cedo uma artéria é desobstruída, seja por angioplastia ou por medicamentos, maior é a taxa de sobrevivência, então, ganhar poucos minutos dirigindo para o hospital mais próximo pode fazer diferença, afirma o pesquisador.

Durante a angioplastia, um cateter com balão na extremidade é inserido na artéria bloqueada e insuflado, achatando as placas de gordura contra a parede arterial. Em alguns casos de ataque cardíaco, o procedimento é usado para restaurar o fluxo sanguíneo cardíaco.

O Dr. Cannon e colegas seguiram mais de 27.000 pessoas que se submeteram a angioplastia após infarto. Em média, o primeiro balão de angioplastia foi inflado pouco antes de 2 horas após a chegada do paciente ao pronto socorro, publicaram no "The Journal of the American Medical Association". Apenas 8% dos pacientes tiveram o balão inflado em menos de uma hora após a chegada.

Após ajustar para fatores que podem ter influenciado as taxas de sobrevivência, os pesquisadores calcularam que pessoas com cateterismo iniciado com mais de 2 horas tiveram de 41% a 62% maior probabilidade de morrer no hospital que aqueles que receberam tratamento imediato.

A experiência na realização da angioplastia também afeta a taxa de sobrevivência. Comparados a hospitais que fazem menos de uma angioplastia por mês, aqueles que fazem um ou três procedimentos por mês têm menores taxas de mortalidade. E a taxa foi ainda menor nos centros médicos que realizavam três ou mais angioplastias por mês.

"Diante da importância desta demora, nossos dados sugerem que médicos e equipes de cuidados cardíacos deveriam monitorar o tempo até a angioplastia e reduzí-lo para menos de 2 horas". Além da angioplastia, medicamentos também podem ser usados para tratar pacientes infartados.

Fonte: The Journal of the American Medical Association 2000;283:2941-2947, 2988-2989.

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited. Reuters Limited shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: