Publicidade

Notícias de saúde

Poder Antioxidante da Cerveja Faz Bem à Saúde, Indicam Estudos

27 de Dezembro de 2000 (Bibliomed). A cerveja pode não ser considerada uma bebida saudável, mas é rica em nutrientes que ajudam frutas e vegetais a serem saudáveis para o organismo.

Três novos estudos em laboratório e com animais apresentados este mês no Congresso Internacional de Química das Sociedades da Bacia do Pacífico, em Honolulu, Havaí, confirmaram que a cerveja -- especialmente a cerveja preta -- contém uma boa quantidade de antioxidantes.

Essas substâncias químicas protegem as células dos efeitos dos radicais livres, que são moléculas corrosivas produzidas durante os processos metabólicos normais, associadas ao desenvolvimento de muitas doenças ligadas ao envelhecimento.

"Acreditamos que a cerveja faz bem para a saúde, ao menos como antioxidante", disse Joe Vinson, da Universidade de Scranton, na Pensilvânia, à Reuters Health.

Em estudos laboratoriais, Vinson descobriu que a cerveja evitou a oxidação da lipoproteína de baixa densidade e lipoproteína de densidade muito baixa -- dois tipos de colesterol ruim. Acredita-se que essa oxidação seja uma etapa inicial do desenvolvimento de doenças do coração e dos vasos sanguíneos.

Quando Vinson e sua equipe deram o equivalente a duas cervejas ao dia a hamsters, sua taxa de arteriosclerose caiu pela metade. Os animais, que consumiram a cerveja diluída em água, foram alimentados com colesterol e gordura saturada por dez semanas para aumentar os níveis de colesterol e triglicérides no sangue.

Outro grupo de hamsters recebeu a quantidade equivalente de etanol para verificar se os efeitos da cerveja à saúde estão separados de seu teor alcoólico. O álcool sozinho não teve nenhum efeito no grau de arteriosclerose na aorta (o principal vaso de fornecimento de sangue para o corpo) do animal.

Os estudos laboratoriais de Vinson mostraram que a cerveja preta contém mais polifenóis, uma família de antioxidantes, mas a cerveja clara teve um efeito mais forte nos hamsters.

Um segundo estudo avaliou como o consumo de álcool produz impactos na formação de catarata, outra doença relacionada ao envelhecimento que se acredita estar ligada à oxidação.

Pessoas que consomem uma bebida alcoólica por dia diminuem seu risco de desenvolver catarata pela metade, de acordo com John Trevithick, da Universidade de Western Ontario, no Canadá, e sua equipe. Os cientistas encontraram evidências de que os antioxidantes da cerveja e do vinho, ao lado de seu teor alcoólico, podem ser responsáveis por esse efeito.

Trevithick e sua equipe expuseram o cristalino de ratos a altos níveis de glicose, similares aos presentes nos olhos de pessoas com diabete. Normalmente, o excesso de açúcar danifica componentes celulares importantes, mas o acréscimo de um antioxidante evitou essa lesão.

Sua filha, Colleen Trevithick, candidata a doutora na Universidade da Califórnia, em Los Angeles, coordenou outro estudo analisando a fonte dos antioxidantes da cerveja. A cientista descobriu que a cerveja e o malte, ingredientes da cerveja, reduziram a oxidação em 95 por cento, em comparação a 75 por cento do etanol somente.

A pesquisa de Trevethick foi patrocinada pela Labatt Brewing, um fabricante de cerveja do Canadá, e outras companhias. Vinson recebeu apoio financeiro, e cerveja, do fabricante tcheco Pilsner Urquell.

Copyright © 2000 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: