Publicidade

Artigos de saúde

Primeiras Semanas em Casa com um Recém-Nascido

Prevenindo Fadiga e Esgotamento

Para a maioria das mães, as primeiras semanas em casa com um novo bebê são as mais duras de suas vidas devido ao cansaço, estafa e até mesmo sentimento de estar subjugada. O sono inadequado a deixará cansada. Cuidar de um bebê pode ser uma tarefa solitária e estressante. Você pode desejar saber se em algum momento estará em dia com o descanso e com o trabalho. A solução é pedir ajuda.

Todo bebê acorda uma ou mais vezes por noite. Para evitar a privação do sono, é preciso saber a quantidade total de tempo que precisa dormir por dia e dividi-lo em partes. Durma mais cedo à noite. Quando o bebê cochilar você também deve fazê-lo pois o bebê não precisa de cuidados enquanto dorme. Se estiver doente, o bebê mostrará sintomas. Enquanto estiver cochilando, tire o telefone do gancho e ponha um recado na porta que diz: MÃE E BEBÊ ESTÃO DORMINDO. Se ainda assim seu sono permanecer insuficiente, contrate uma babá ou peça ajuda a um parente. Se não cuidar de si mesma, não poderá tomar conta do bebê.

A Depressão Pós-parto

Mais de 50% das mulheres têm depressão pós-parto no terceiro ou quarto dia após o parto. Os sintomas incluem choro fácil, fadiga, tristeza e dificuldade de pensar claramente. A principal causa desta reação temporária é provavelmente a diminuição súbita de hormônios maternos. Os sintomas comumente começam no dia em que a mãe chega em casa do hospital, o impacto de ser totalmente responsável por um recém-nascido pode ser um fator contribuinte. Muitas mães sentem-se diminuídas e culpadas por estes sintomas porque elas foram levadas a acreditar que deveriam ficar felizes com o recém-nascido. Em qualquer caso, estes sintomas normalmente desaparecem de uma a três semanas com o retorno dos hormônios aos níveis normais e com o retorno das atividades diárias e da sensação de controle sobre sua vida.

Há várias maneiras de lidar com a depressão pós-parto. Primeiro você deve perceber o que está sentindo. Converse sobre isto com seu marido ou um amigo íntimo, fale também de sua sensação de estar presa e que estas novas responsabilidades parecem insuperáveis. Não pense que precisa segurar o choro ou parecer uma "supermãe" para todo o mundo. Em segundo lugar, tenha um descanso adequado. Em terceiro, consiga ajuda para todo o seu trabalho. Quarto, não fique sozinha. Saia de casa pelo menos uma vez por semana, vá ao cabeleireiro, faça compras, visite um amigo ou vá ao cinema. Lá pela terceira semana, deixe uma tarde por semana marcada para ficar com seu marido. Se não se sentir melhor até que seu bebê tenha 1 mês de idade, procure seu médico e peça conselhos sobre sua depressão.

Ajudantes: Parentes, Amigos e Babás

Como já foi enfatizado, todo mundo precisa de ajuda extra durante as primeiras semanas com um novo bebê. O ideal seria que você tivesse organizado estas ajudas antes do bebê nascer. A melhor pessoa para ajudar (se você se dá bem com ela) normalmente é sua mãe ou sua sogra. Se não, você pode contratar uma pessoa durante alguns dias na semana para ajudar com o serviço de casa ou cuidar do seu bebê enquanto você sai ou descansa. Se você tem outras crianças pequenas, precisará de ajuda todos os dias. Deixe claro que seu papel é cuidar do bebê. O papel do seu ajudante é fazer compras, cozinhar, limpar a casa e lavar as roupas e os pratos. Se o recém-nascido tiver um problema médico que exija cuidado especial, peça visitas domiciliares de um médico.

O Papel do Pai

O pai precisa tirar uma folga do trabalho para estar com a esposa durante o trabalho de parto e no dia em que ela e a criança tiverem alta do hospital. Se o casal tiver um parente que irá, temporariamente, morar com eles e ajudá-los, o pai pode continuar trabalhando depois que o bebê estiver em casa. Porém, quando o parente for embora, o pai pode tirar um tempo de férias acumuladas como licença paternidade. No mínimo ele deve tentar trabalhar menos até que sua esposa e bebê estiverem mais adaptados.

O tempo em que o pai não se envolvia acabou. Não só a mãe precisa do marido para ajudá-la com as tarefas da casa, como também o bebê precisa para desenvolver uma relação íntima com o pai. O pai deve também ajudar alimentando o bebê, trocando fraldas, dando banho, pondo na cama, lendo histórias, vestindo, disciplinando, jogando jogos e chamando o médico quando a criança estiver doente.

Um pai pode evitar interagir com o bebê durante o primeiro ano de vida por medo de ferir o bebê ou de não ser capaz de acalmar a criança quando estiver chorando. Quanto mais tarde o pai aprender a lidar com o filho, mais dura será esta tarefa. No mínimo, um pai deveria segurar e confortar o bebê uma vez por dia.

Visitas

Somente os amigos íntimos e os parentes devem visitá-la durante seu primeiro mês em casa e certifique-se de que não estejam doentes. Para prevenir visitas inesperadas, os pais podem pôr um bilhete na porta que diz: MÃE E BEBÊ DORMINDO. NENHUMA VISITA. FAVOR LIGAR PRIMEIRO.

Alimentando seu Bebê: Ganhando Peso

Suas principais tarefas durante os primeiros meses de vida são amar e alimentar o bebê. Todos os bebês perdem algumas gramas durante os primeiros dias depois do nascimento, porém, nunca devem perder mais que 7% do peso de nascimento (aproximadamente 220g). A maioria dos bebês que tomam mamadeira regressam ao peso de nascimento por volta dos 10 dias de idade e os que alimentam-se no peito, por volta dos 14 dias. Então, os recém-nascidos, ganham aproximadamente 28g por dia durante os primeiros meses. Se o leite é dado sem restrições, o apetite do recém-nascido garantirá o ganho de peso apropriado.

A mãe que amamenta ao peito freqüentemente deseja saber se o bebê está adquirindo calorias suficientes. O bebê está saudável se exigir alimento a cada 1 1/2 a 2 1/2 horas, parecer satisfeito depois da alimentação, mama em ambos os peitos de cada vez, molha 6 ou mais fraldas a cada dia e evacuar 3 ou mais vezes por dia. Sempre que estiver preocupada com o ganho de peso de seu bebê, vá ao consultório médico para um exame. Problemas alimentares descobertos precocemente são muito mais facilmente remediados que os descobertos tardiamente. Uma checagem do peso na primeira semana depois do nascimento é útil para crianças de mães que amamentam ao peito pela primeira vez ou para mães preocupadas com a quantidade de leite.

Lidando com o Choro

Quando os bebês estão chorando eles precisam de cuidado, alguém com voz e toque suaves. Não pode mimar o bebê durante os primeiros meses de vida, pois bebês mais sensíveis podem precisar de mais carinho.

Posição de Dormir

Lembre-se de colocar seu bebê no berço de costas ou de lado. A partir de 1992, esta é a posição de dormir recomendada pela Academia Americana de Pediatria, para bebês saudáveis. A posição de costas (supino) reduz o risco da síndrome de morte súbita do recém-nascido.

Levando o Bebê para Passear

Pode levar o bebê para uma volta ao ar livre em qualquer idade.

Vista o bebê como vestiria um adulto de acordo com a temperatura ambiente. Um engano comum é o exagero de roupas no verão. No inverno, os bebês precisam de um chapéu porque eles freqüentemente não tem muito cabelo para proteger-se contra perda de calor. Ar frio ou ventos não causam infecções de ouvido ou pneumonia.

A pele dos bebês é mais sensível ao sol que a pele de crianças mais velhas. Mantenha exposição ao sol em pequenas quantidades (10 a 15 minutos de cada vez). Proteja a pele de seu bebê de queimadura de sol com roupas compridas e um gorro.

Acampamentos e multidões devem ser evitados durante o primeiro mês de vida. Também, durante o primeiro ano de vida tente evitar contato íntimo com pessoas que têm enfermidades infecciosas.

Exame Médico no Terceiro ou Quarto Dia de Vida

Ter alta precoce do berçário tornou-se normal para os bebês o que significa ir para casa dentro de 24 a 48 horas pós-parto. Em geral esta é uma prática segura se o bebê não teve complicações hospitalares. Estes recém-nascidos precisam ser reexaminados 2 dias após a alta para ver como estão se alimentando, urinando, defecando e respirando. Eles também devem ser observados quanto à icterícia e saúde global. Em alguns casos especiais, esta checagem pode ser realizada em casa.

Exame Médico na Segunda Semana

Este exame é provavelmente o mais importante para seu bebê durante o primeiro ano de vida. Durante essas duas semanas seu bebê poderá desenvolver sintomas, de alguma doença, os quais não foram detectados durante sua permanência no hospital. O médico poderá avaliar seu crescimento a partir de sua altura, peso e perímetro cefálico.

Este também é o momento em que sua família estará sobre a maior tensão de adaptação ao novo bebê. Tente desenvolver o hábito de anotar perguntas sobre a saúde da criança ou comportamento em casa. Traga esta lista com você às consultas médicas para serem discutidas. Muitos médicos gostarão de anotar suas perguntas, principalmente se forem difíceis de serem respondidas, para que possa passá-las para outras mães.

Se possível, a mãe e o pai deveriam ir à estas visitas. A maioria dos médicos prefere a presença de ambos os pais durante um exame de rotina do que durante uma doença aguda.

Se achar que seu bebê está doente entre as consultas de rotina, ligue para seu médico.

Desenvolvido pelo Sistema de Referências Clínicas.

Copyright 2000 Clinical Reference Systems



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: