Publicidade

Notícias de saúde

Sonhos ruins podem ajudar a processar as emoções, indica estudo

12 de maio de 2009 (Bibliomed). Os sonhos ruins comuns podem ser uma forma de o cérebro nos ajudar a regular nossas emoções negativas, enquanto os pesadelos representam uma falha nesse processo, segundo estudo da Universidade Yeshiva, em Nova York. Os pesquisadores acreditam que a regulação das emoções pode ser a principal função do sono REM, estágio do sono durante o qual sonhamos.

Segundo os especialistas, a maioria dos sonhos não é feliz, por isso os sonhos-padrão são os sonhos ruins, que cumprem um papel importante em reorganizar as emoções. Por outro lado, aqueles pesadelos que nos fazem acordar podem surgir quando o processo de regulação das emoções falha, oferecendo, ao mesmo tempo, um alívio no momento e um reforço ao sentimento de que a ameaça seria real.

Outros estudos mostram que, durante o sono REM, a atividade de certas regiões do cérebro – incluindo o sistema límbico, envolvido na regulação emocional e na memória – aumenta consideravelmente. Por isso, os especialistas acreditam que os sonhos têm o papel de processar as emoções ruins, colocando as memórias em um novo contexto e liberando o medo que estaria ligado a elas.

A pesquisa, publicada na revista Current Directions in Psychological Science, sugere que 85% dos adultos têm pelo menos um pesadelo por ano, particularmente durante momentos de muito estresse. As pessoas mais ansiosas são mais propensas a ter problemas com pesadelos, quando esses passam a preocupar as pessoas durante o dia, o que acaba levando à ocorrência de mais pesadelos.

A esperança é que estudos como esse ofereçam mais informações sobre a origem dos sonhos e dos pesadelos para permitir o desenvolvimento de novas terapias mais eficazes para tratar os pesadelos problemáticos.

Fonte: Current Directions in Psychological Science. Abril de 2009.

Copyright © 2009 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: