Publicidade

Notícias de saúde

Chineses em Risco de Contrair HIV Resistem a Fazer Exame

HONG KONG (Reuters Health) - A grande maioria dos homens chineses que afirmaram ter praticado sexo com prostitutas não fez testes para detectar o HIV, de acordo com um estudo da Universidade Chinesa.

A partir de ligações telefônicas feitas ao acaso com cerca de 2.000 pessoas, Joseph Tak-fai Lau e sua equipe identificaram 252 homens de Hong Kong entre 18 e 60 anos que relataram ter saído com pelo menos uma prostituta durante os últimos sete meses. Destes, 85 afirmaram ter praticado sexo com outro homem.

Dos homens que fizeram sexo com prostitutas, somente 16 por cento disseram ter feito teste do HIV nos últimos seis meses.

Das pessoas que afirmaram que nem sempre usavam preservativo, somente 17 por cento afirmaram ter realizado teste anti-HIV nos seis meses anteriores. Somente 15,5 por cento dos homens que praticaram sexo com um homem fizeram o exame nos últimos seis meses.

De acordo com Lau, em países ocidentais, como Estados Unidos e Suíça, a taxa de testes entre as populações de risco é de cerca de 50 a 60 por cento.

No estudo feito em Hong Kong, 31,5 dos participantes disseram que não fizeram o exame anti-HIV imediatamente por medo de um resultado positivo, enquanto que 23,8 por cento acreditavam que suas chances de estar infectados eram muito baixas e 11,9 por cento admitiram que temiam ser identificados.

"Aqui, a comunidade não dá apoio às pessoas e estes homens temem o isolamento se tiveram resultado positivo...O meio social precisa ser melhorado", avaliou Lau.

Ele fez um apelo às organizações não-governamentais (ONGs) para incentivar a realização de testes anti-HIV, acrescentando que menos de 10 por cento dos participantes fizeram testes nesses locais.

"No passado, essas organizações estavam preocupadas que o resultado negativo do teste daria a falsa sensação de segurança e, agora, elas dedicam grande parte de seus recursos à prevenção", explicou Lau. "Mas recursos precisam ser dedicados aos testes", acrescentou Lau.

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited. Reuters Limited shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: