Publicidade

Notícias de saúde

Crescimento de distúrbios alimentares na infância motiva criação de serviço

Belo Horizonte, 14 de Janeiro de 2002 (Bibliomed). Quatro pacientes estão sendo atendidos pelo novo serviço montado pela Universidade de São Paulo (USP): a unidade para tratamento de crianças com os distúrbios alimentares conhecidos como anorexia e bulimia. De abordagem multidisciplinar, o serviço trata as crianças e orienta seus pais sobre as formas de lidar com o problema.

Em funcionamento há menos de um mês, a unidade foi criada diante do crescimento de casos de bulimia e anorexia na infância. Há alguns anos, a doença psiquiátrica era diagnosticada apenas em adultos, sobretudo em mulheres jovens.

A bulimia e a anorexia se caracterizam pela obsessão pelo emagrecimento. Suas vítimas fazem dietas e praticam esportes de forma excessiva. Não é incomum a opção pelo jejum ou pela ingestão exagerada de comida, seguida do vômito provocado.

O crescimento da doença entre crianças também foi observado em outros países. Segundo os especialistas, a mudança no perfil dos pacientes se deve à crença social de que as pessoas devem ter um corpo perfeito e ser excelentes praticantes de esporte.

Principalmente no Brasil, fatores como a erotização precoce e a valorização da aparência de artistas, dançarinos e modelos, que costumam apresentar um padrão corporal magro, contribuem para que as crianças criem exigências em relação ao próprio corpo.

Ao contrário dos adultos, as crianças com bulimia ou anorexia não têm uma visão tão crítica de sua aparência. Com isso, os índices de recuperação e de adequação ao tratamento são significativos. O acompanhamento dos pais é outro fator que contribui para os bons resultados do tratamento. Normalmente, o ideal é que a família acompanhe a alimentação e as atividades da criança.

Os principais sintomas que revelam que a pessoa tem um distúrbio alimentar são as adesões constantes às dietas e o exagero com que os regimes são conduzidos. O tratamento é feito com base na terapia familiar e com o uso de medicamentos, como antidepressivos. Tratar precocemente os distúrbios alimentares é fundamental para que a criança não desenvolva outros problemas, como osteoporose ou diminuição na fertilidade.

No ano passado, algumas famílias se reuniram ao redor do mundo para combater a proliferação, na internet, de sites que incentivam o rigor com as medidas do corpo e a boa forma a qualquer preço. Voltados principalmente para o público adolescente, as páginas traziam orientações sobre dietas e formas de camuflar os regimes da família. Os sites abusavam de fotos de personalidades magras, como a modelo Kate Moss e as atrizes Calista Flockhart e Gywneth Paltrow.

Há alguns anos, os distúrbios alimentares eram problemas freqüentemente identificados em pessoas que faziam controle permanente do peso, como modelos e artistas. Na lista dos famosos que tiveram estes problemas estão a modelo dos anos 60, Twiggy, Jane Fonda, Karen Carpenter, Elton John, Lady Di e a princesa Vitória, filha da rainha Sílvia, da Suécia. Outras informações sobre o serviço da unidade podem ser obtidas pelo telefone (11) 3069-6975, das 8h às 12h.

Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: