Publicidade

Notícias de saúde

Brasil: Aumento de Focos da Dengue Deixam a População do Litoral Paulista em Alerta

São Paulo, 06 de Dezembro de 2000(eHLA). Depois que foram encontrados mais de 30 focos do mosquito transmissor da dengue no litoral norte de São Paulo, a Vigilância Sanitária da Prefeitura de São Sebastião, decidiu intensificar o trabalho de combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença. A partir da próxima semana equipes da vigilância sairão às ruas para orientar os moradores sobre as medidas preventivas quanto ao aparecimento de focos.

No verão, os ponteiros dos termômetros começam a se elevar. Em certas localidades, o calor pode ser acompanhado de chuvas, que enchem de água aqueles recipientes esquecidos no quintal de casa. Eis o ambiente ideal para a proliferação do Aedes aegypti, o mosquito do dengue, doença considerada endêmica no Brasil. Até setembro deste ano, ela fez 191 598 vítimas em todo o território nacional. “O calor acelera o ciclo biológico desses insetos. Eles ficam adultos mais depressa e sua população vai crescendo como uma bola de neve”, explica a engenheira sanitarista Carmen Moreno Glasser, da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen). Focos da doença vem sendo encontrados na região portuária, em São Sebastião, desde 1997. O combate ao mosquito vem sendo feito pela Vigilância Sanitária e pela Sucen.

A Doença

A dengue é uma moléstia causada por vírus e transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, de origem africana. Em geral, o inseto mede 0,5 centímetro, é escuro, com patas finas e manchadas de branco. Para se reproduzir, a fêmea do bicho precisa do sangue humano. Ao picar alguém infectado com um dos quatro vírus da doença, ela se contamina e passa a transmiti-lo a cada nova ferroada. Os ataques costumam ser ao amanhecer e no crepúsculo. Os sinais da doença são febre, fraqueza, moleza e dor no corpo. Não existe tratamento. Se uma pessoa que já teve dengue for novamente picada, corre risco de morte, porque pode desenvolver dengue hemorrágica, tipo mais grave que o primeiro. No verão, as medidas para afastar o mosquito devem ser redobradas, porque ele se reproduz com mais rapidez no calor.

Como prevenção, a Vigilância Sanitária orienta a população que não deixe recipientes como garrafas, barris e pneus esquecidos no quintal. Eles se enchem com a água das chuvas e o ambiente se torna ideal para a proliferação do mosquito. Além disso, é importante colocar areia nos pratos que ficam sob os vasos, que também acumulam líquidos.

Copyright © 2000 eHealth Latin America

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: