Publicidade

Notícias de saúde

Sexualidade/Ginástica Apenas Para Homens

28 de Abril de 2000 (Bibliomed). Não é preciso recorrer a garrafadas mágicas ou a pílulas milagrosas para passar a barreira dos 40 anos com uma virilidade plena. É o que garante uma nova técnica que se baseia no desenvolvimento da musculatura da região peniana. Defendida pela médica sexologista de Marilene Cristina Vargas, autora do livro O manual do orgasmo 2000 (Núcleo de Sexologia de Curitiba), a ginástica peniana localizada pode prevenir a impotência. Os exercícios, que também ajudam a melhorar o desempenho sexual, devem ser feitos desde a adolescência. Tudo para chegar na idade mais crítica bem preparado.

A maioria dos problemas eréteis é causada por dificuldades de vascularização do pênis, ou seja, diminuição de fluxo sangüíneo nas artérias que irrigam o membro sexual amsculino. Desenvolver a circulação nesta região pode melhorar qualidade na ereção, segundo a médica, autora também do livro Manual do tesão, recém-chegada de um congresso sobre disfunção sexual masculina, no Cairo, Egito.

Tempo de ereção está diretamente relacionado aos que têm boa musculatura nos na região em torno do pênis

Segundo a sexologista, os músculos pubococcígeos (da região em volta do órgão sexual) sustentam o pênis, sendo os responsáveis por sua rigidez. Prova disso é que homens com tempo de ereção longo têm ótimas condições desta musculatura.

"Os exercícios ajudam a melhorar esta musculatura. E, geralmente, quanto mais demorada a ereção, o prazer orgástico é de melhor qualidade", diz a médica. De modo geral, as séries de exercício incluem repetições de movimentos que provavelmente ainda são inexplorados. Movimentos que contam com a contração da parede pélvica e dos músculos que estão atrás da bolsa escrotal (na frente do ânus) e também a prática do adiamento do orgasmo que resulta da masturbação. Além da manutenção da rigidez do pênis, a proposta da especialista ainda garante uma mehor qualidade na relação sexual.

Ejaculação controlada é uma das outras vantagens trazidas pela ginástica

Para o sexologista Paulo Roberto de Brito Cunha, diretor da Sociedade Brasileira de Sexologia e membro da Sociedade Internacional para Pesquisa da Impotência, os exercícios são bons para melhorar a qualidade da relação sexual, mas não previnem a impotência.

"O homem já faz inconscientemente sua ginástica peniana durante o sono, tendo uma média de cinco a seis ereções. Isso melhora a qualidade das fibras penianas, ajuda a manter intacta a estrutura do pênis. Mas mesmo homens que têm problemas de ereção fazem esta ginástica involuntária, o que prova que os exercícios nem sempre garantem um pênis ereto na hora da relação", explica o especialista.

Para Paulo Roberto Cunha, o que ajuda a debilitar o pênis são problemas como o estresse e a depressão e males ligados à tireóide, que causam um desequilíbrio hormonal, além dos maus hábitos no dia-a-dia, como o fumo, o sedentarismo, o uso de anabolizantes.

"Ser obeso, ter colesterol alto e diabetes e ainda fumar (a principal causa de disfunção sexual), levam à obstrução capilar, impedindo que o pênis seja irrigado. Os mesmos fatores de risco para um bom funcionamento do coração são também os que influenciam na rigidez do membro", explica o sexologista.

O diretor da Sociedade Brasileira de Sexologia explica ainda que os exercícios para o pênis ajudam também a controlar a ejaculação.

"O que não quer dizer que isso previna a impotência. Para combatê-la, o ideal é mesmo manter uma rotina saudável. Isto preserva a boa expansibilidade do pênis. As mulheres também devem se valer dos cuidados diários para terem um bom desempenho sexual - explica o sexologista.

Relação de diâmetro e comprimento pode ser indicativo de impotência. Outro fator, segundo Paulo Roberto da Cunha, também é determinante para uma boa ereção: o tamanho do pênis. Já foi comprovado cientificamente que os homens com um órgão comprido e fino são os que mais têm problemas de impotência.

Pesquisas desenvolvidas pelo Departamento de Urologia e pelo Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Boston mostram que a geometria do pênis é um dos fatores determinantes da disfunção erétil.

O comprimento deve ser proporcional à sua largura. Isto significa que quanto menor e mais largo, mais potente - garantem os especialistas.

De acordo com o estudo, o diâmetro do órgão em repouso é fundamental para ajudar no início da ereção: quanto maior for esta medida, mais facilmente o sangue chegará aos corpos cavernosos. Para fazer o cálculo do tamanho ideal do diâmetro, basta recorrer a uma regrinha:

"O diâmetro deve ser em média um terço do comprimento. Se o pênis tem 12 centímetros, seu diâmetro ideal seria quatro centímetros.

Especialistas americanos já comprovaram que há um aumento do tempo de ereção e também da qualidade do orgasmo depois da prática de exercícios penianos. Marilene Cristina Vargas explica que outros problemas podem causar a impotência. Mas o ideal é que, se depois dos exercícios não for possível manter um tempo de controle de cinco a 12 minutos, a vez seja mesmo de procurar um especialista para tratar do problema.

Copyright © 2000 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: