Publicidade

Artigos de saúde

O Risco de Fumar

O hábito de fumar cigarros é a maior causa de mortes que podem ser prevenidas nos Estados Unidos. Em média, pessoas que fumam morrem de 5 a 8 anos antes que pessoas que não fumam.

Pessoas que mascam tabaco e pessoas que convivem com fumantes podem vir a ter todos as doenças pulmonares. O risco de desenvolverem câncer de garganta, boca, pâncreas, rim, bexiga e pescoço é muitas vezes maior do que em pessoas que não estão expostas à fumaça do tabaco. Fumar é a maior causa de enfisema, uma doença pulmonar debilitante que vagarosamente destrói a abilidade de respirar normalmente.

Fumar é especialmente prejudicial para pessoas com:

- doença cardíaca
- doença de vasos sangüíneos
- diabetes
- pressão alta
- colesterol alto
- histórico familiar dessas doenças.

Fumantes e pessoas que convivem com fumantes, têm 2 vezes mais chance de doença cardíaca fatal. Fumar também aumenta o risco de infarto. Mulheres, especialmente as que têm mais de 35 anos, que tomam pílula anticoncepcional e fumam, têm um risco aumentado de infarto e problemas cardíacos. Elevar a pressão sangüínea é outro perigo do cigarro. Fumar também diminui os níveis de HDL, o "bom colesterol".

Fumantes e pessoas que convivem com eles têm 2 ou 3 vezes mais chance de ter úlcera péptica. Fumantes também têm um risco maior que a média de ter fratura de costelas, punho e vértebras (coluna). Somado a isto, fumar complica problemas de sono. Fumantes também têm maior tendência para gripes e outras doenças respiratórias do que não-fumantes.

A fumaça do tabaco é perigosa para não-fumantes. Exposição à fumaça, também chamado de fumar passivamente, aumenta os riscos de não-fumantes terem os mesmos problemas que fumantes. Um não-fumante, num ambiente cheio de fumaça por 1 hora, tem sobre seu organismo os mesmos efeitos de quem fumou 10 ou mais cigarros. Um estudo demonstrou que a taxa de câncer de pulmão entre mulheres não-fumantes dependia de quantos cigarros seus maridos fumavam.

Fumar afeta mulheres grávidas e seus filhos que ainda não nasceram. Mães que fumam têm maior risco de prematuridade e natimorto. Crianças nascidas de mães fumantes têm menor peso ao nascer que a média. Eles também têm infecções respiratórias com mais freqüência, um maior risco de infecção de ouvido crônica e asma e uma menor eficiência pulmonar. Pesquisas recentes sugerem possíveis ligações entre mães fumantes e déficit de atenção (hiperatividade) em crianças. Investigações sugerem a possibilidade de que a exposição ao cigarro seja um fator para síndrome de morte precoce infantil. Filhos de fumantes freqüentemente se tornam fumantes.

Quanto mais cigarros a pessoa fuma, maiores as chances de adoecer. Substituir os cigarros por cachimbo ou charuto não diminui o risco de doenças. Fumadores de charuto ou cachimbo têm o mesmo risco de ter câncer de boca, lábio, laringe e esôfago que os fumantes de cigarros. Felizmente, quando um fumante para de fumar muitos desses riscos diminuem.

Aqueles que mascam tabaco têm grande risco de ter câncer de boca. O câncer de boca pode desenvolver-se rapidamente, com 10 a 15 anos desde a primeira vez que se usou tabaco.

Desenvolvido por Phyllis G. Cooper, R. N. M. N. e Clinical Reference Systems.
Copyright 1998 Clinical Reference Systems.



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: