Publicidade

Artigos de saúde

Luzes Noturnas Não Causam Miopia em Bebês

Existe o hábito difundido entre os pais de colocar luzes noturnas no quarto de bebês, com o objetivo de dar-lhes conforto e diminuir o medo de dormir sozinho. Existia uma crença de que estas luzes poderiam levar os bebês a desenvolver miopia, um defeito da acomodação da visão que requer o uso de óculos ou lentes.

Um estudo publicado na revista Nature em 9 de março contradiz os resultados de um outro estudo publicado há quase um ano na mesma revista. Pesquisadores da Universidade do Estado de Ohio em Columbus descobriram que não há nenhuma associação entre a miopia e a presença ou ausência de luz no quarto de dormir.

Estes resultados são baseados no acompanhamento de 1.200 crianças. Das 417 crianças que dormiam sem nenhuma luz no quarto, 20 por cento se tornou míope mais tarde. Das 758 crianças que dormiam em quartos com uma luz noturna, 17 por cento se tornou míope.

Vinte e dois por cento das crianças que dormiam sempre em quartos completamente iluminados também desenvolveram a condição. As diferenças entre estes três grupos não foram estatisticamente significativas, e estas taxas corresponderam à freqüência da miopia na população geral dos Estados Unidos, onde o estudo foi realizado.

Desta forma, os pesquisadores dizem que o grande fator de risco para miopia é a presença da condição em um dos pais, porque esta é uma característica basicamente hereditária. A co-autora do estudo Karla Zadnik tranqüiliza os pais, dizendo que não foi provado nenhum fundamento na relação entre luz no quarto de dormir e a miopia nas crianças.

Uma possível relação, que poderia ter confundido a população e pesquisadores em estudos anteriores, é que, se os pais enxergam mal, pode ser mais provável que eles instalem luzes noturnas no quarto de seus filhos. Assim, pais míopes poderiam estar mais propensos a colocar luzes nos quartos dos filhos, e estes estariam mais propensos à miopia não pelas luzes, e sim pelo fato um dos seus pais (ou ambos) serem míopes.

Fonte: Nature 2000;404:143-144.

Copyright © 2000 eHealth Latin America



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: