Publicidade

Artigos de saúde

Especialista Avalia Métodos Anticoncepcionais

Apesar dos inúmeros métodos anticoncepcionais disponíveis, muitos deles com alta eficácia e praticidade, ainda hoje assistimos a muitos casos de gravidez indesejada, principalmente em adolescentes, muitas delas terminadas de forma drásticas, através de abortamentos induzidos e complicadas.

Para o ginecologista e obstetra Ilveu Cosme Dias, paradoxalmente às facilidades dos meios de comunicação de hoje em dia, a informação correta e precisa sobre tais métodos nem sempre chega à população mais necessitada.

As opções de métodos anticoncepcionais disponíveis podem ser classificadas em temporários ou reversíveis e em definitivos ou irreversíveis. Os primeiros são aqueles que, quando abandonados, permitem que a mulher esteja apta a engravidar. Os outros são aqueles que muito dificilmente possibilitam uma gestação, a não ser que se utilizem técnicas microcirúrgicas para reverter o quadro clínico ou uso de técnicas de fertilização assistida.

Temporários ou Reversíveis

A tabelinha consiste em evitar relações sexuais desprotegidas no período fértil da mulher (período de provável ovulação). Não é um método seguro, pois só funciona razoavelmente em ciclos menstruais regulares (28-32 dias), mesmo assim estando sujeito a variações do estado emocional da paciente. A paciente deve evitar o coito desprotegido cerca de 5 dias antes e 5 dias depois do provável dia da ovulação, o que geralmente ocorre 14 dias antes da próxima menstruação.

Com relação ao método da avaliação do muco cervical: no período fértil (12º ao 16º dias antes da menstruação), a mulher produz uma secreção clara, fina e pegajosa, tipo clara de ovo. Neste caso, explica o médico, deve-se evitar coito desprotegido. Também, tal qual o método da tabela, está sujeito a variações na mulher.

No caso da camisinha ou preservativo sua utilização se dá através de um saquinho de borracha fina (condom), que é colocado no pênis , quando ele está enrijecido e antes da penetração na vagina, funcionando como um reservatório do esperma. "É preciso lembrar que ao se utilizar à camisinha é necessário tirar o ar que fica na extremidade do preservativo, a fim de se evitar seu rompimento. É um método bom, porém existem outros mais eficazes. Sua grande utilidade é na prevenção de doenças sexualmente, principalmente a Aids".

O coito interrompido é a interrupção do fluxo ejaculatório, retirando-se o pênis de dentro da vagina antes que ocorra a ejaculação. É um método muito precário e pouco eficaz, pois pode extravasar líquido seminal rico em espermatozóides na vagina, sem que o parceiro perceba.

O médico comenta ainda que os espermaticidas que são produtos em forma de creme, espuma ou óvulos que a mulher coloca no fundo vaginal e que têm a capacidade de matar os espermatozóides. Normalmente são colocados cerca de 20-30 minutos antes da penetração do pênis na vagina, tendo duração de cerca de 1 hora, com baixa eficácia contraceptiva. Devem ser usados com o preservativo ou diafragma, para aumentar sua eficácia.

Já o diafragma, explica o obstetra, é uma capa de borracha fina que é colocada dentro da vagina , associado ao espermaticida, que têm o objetivo de impedir a ascensão do espermatozóide pelo colo uterino. Neste caso, deve ser introduzido na vagina cerca de 30 minutos antes da relação sexual e só retirado após 8 horas. Tem o tamanho certo para cada paciente, o que deve ser orientado por profissional de saúde habilitado.

No caso do DIU - dispositivo intra-uterino - é um dispositivo de polietileno envolto por cobre, normalmente em forma de "T", colocado dentro do útero pelo médico, em datas predeterminadas. O seu mecanismo de ação é a morte do espermatozóide pelos íons de cobre liberados na cavidade endometrial, impedindo a fecundação. É um dos métodos reversíveis mais eficazes, cerca de 99% de eficácia, porém seu controle deve ser rigoroso junto ao ginecologista, a fim de se identificar quais pacientes que podem e que não podem usar o método, destaca.

O anticoncepcional hormonal ou pílula são hormônios artificiais, semelhantes aos produzidos pela mulher, que impedem, de uma maneira geral, a ovulação. São bastante eficazes, cerca de 98% de eficácia, quando usados de maneira correta. Também, da mesma forma, tem se avaliar junto ao ginecologista qual mulher está apta a fazer o uso da pílula, devido aos seus efeitos colaterais e contra-indicações. Podem se apresentar em forma de comprimidos de uso oral ou vaginal, bem como através de apresentações injetáveis, de uso mensal.

Irreversíveis ou Definitivos

O especialista comenta entre os métodos irreversíveis ou definitivos estão a ligadura de trompas e a vasectomia . A ligadura de trompas é uma cirurgia feita na mulher, com o objetivo de cortar as suas trompas, interrompendo a passagem do óvulo e/ou do espermatozóide, evitando-se a fecundação. Ë um método altamente eficaz, cerca de 99,6% de eficácia, sendo preferentemente feito por cirurgia vídeo-endoscópica, com alta hospitalar no mesmo dia. Em situações especiais, pode ser feito durante uma cesariana.

Já no caso da vasectomia que é uma cirurgia feita no homem, onde se interrompe o canal deferente, tem objetivo impedir que os espermatozóides saiam junto com o líquido seminal. A ejaculação masculina continua normal, porém com volume diminuído e sem espermatozóides, comenta.

Copyright © 2000 eHealth Latin America



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: