Notícias de saúde

20% dos hipertensos tomam remédios que podem aumentar a pressão

11 de junho de 2021 (Bibliomed). Quase 1 em cada 5 adultos com pressão alta toma medicamentos que podem piorar seus níveis de pressão arterial, como esteroides, anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), antipsicóticos ou anticoncepcionais.

De acordo com as novas descobertas, apresentadas na American College of Cardiology’s 70th Annual Scientific Session, que ocorreu entre 15 e 17 de maio de 2021, virtualmente, os médicos precisam prestar mais atenção aos medicamentos que as pessoas tomam e como eles podem afetar a pressão arterial.

O estudo avaliou os dados de saúde de 27.599 pessoas que participaram National Health and Nutrition Examination Survey entre 2009 e 2018. Cerca de metade dos participantes do estudo, 49%, tinha hipertensão.

Os pesquisadores identificaram medicamentos associados à hipertensão, como AINEs, esteroides, pílulas anticoncepcionais e antipsicóticos. Quase 19% usaram um ou mais medicamentos que aumentam a pressão arterial e 4% usaram vários medicamentos que estão relacionados com a pressão arterial elevada. As descobertas também mostram que interromper o uso de um desses medicamentos pode melhorar as taxas de pressão arterial em 4,8%.

AINEs, esteroides, anticoncepcionais orais e antipsicóticos têm uma correlação clara com o aumento da pressão arterial. Isso ocorre porque eles podem fazer com que os pacientes retenham um pouco de líquido, o que levará a um aumento da pressão arterial, explicam os autores.

A hipertensão, quando não tratada, aumenta o risco de doenças cardiovasculares e acidente vascular cerebral (AVC). Quanto mais cedo os médicos identificarem as pessoas com risco de hipertensão, maiores as oportunidades que as pessoas terão de controlar a hipertensão, fazendo mudanças no estilo de vida, como uma dieta balanceada e exercícios regulares.

Fonte: American College of Cardiology’s 70th Annual Scientific Session. May 15-17, 2021. On-line.

Copyright © 2021 Bibliomed, Inc.

Copyright © 2021 Bibliomed, Inc.

Veja também

Faça o seu comentário
Comentários