Publicidade

Notícias de saúde

Leite materno pode transmitir drogas e remédios para o bebê, alertam especialistas

28 de junho de 2010 (Bibliomed). Alguns remédios, além de drogas, cigarro e bebidas alcoólicas, devem ser evitados durante a amamentação. De acordo com médicos espanhóis, algumas substâncias passam para o bebê através do leite materno, podendo causar sérios problemas. Baseados em revisão de estudos sobre as substâncias que podem ser encontradas no leite materno e seus efeitos para o bebê, especialistas de diversos hospitais espanhóis recomendam que, durante a gestação e amamentação, as mulheres parem de fumar, não bebam mais de três xícaras de café por dia e evitem o consumo de álcool e o uso de drogas.

“As recomendações gerais são evitar totalmente o abuso de drogas enquanto estiver amamentando, porque essas substâncias podem passar diretamente para o recém-nascido”, destacaram os pesquisadores em artigo recentemente publicado na revista científica Analytical and Bioanalytical Chemistry. “Essas recomendações se estendem ao período pré-natal, porque essas substâncias são passadas para o feto via placenta, e, então, no período pós-natal via ambiente (como o cigarro) e via leite materno”, acrescentaram.

A pesquisa mostrou, por exemplo, que o leite de uma fumante pode conter entre dois e 240 nanogramas de nicotina por mililitro, fazendo com que os bebês dessas mulheres sofram mais de cólica a tenham maior propensão a infecções respiratórias. Em relação à cafeína - encontrada em café, chás, alguns refrigerantes e medicamentos -, seu consumo através do leite materno pode causar irritabilidade e insônia no bebê; por isso, os especialistas recomendam a redução de sua ingestão pelas mães para o equivalente a três xícaras de café por dia. E, no caso do álcool, a possibilidade de problemas no desenvolvimento motor, nos padrões de sono, na alimentação, entre outros até mais graves para o bebê, exigem que as mães evitem seu consumo durante a gestação e amamentação.

De acordo com os pesquisadores, as análises mostraram, ainda, que, entre os medicamentos, as anfetaminas - muito usadas para o emagrecimento - devem ser evitadas nesse período, pois deixam os bebês muito agitados. Por outro lado, drogas opioides, como morfina e codeína, seriam excretadas no leite em quantidades mínimas, podendo ser, tranquilamente, prescritas para uso durante gestação e aleitamento materno, desde que sejam em doses controladas. Em relação aos antidepressivos, ainda não estão claros seus efeitos nesse sentido, por isso, um médico deve ser sempre consultado.

Quando o assunto é o uso de drogas ilícitas, o problema é muito maior, e a recomendação é que elas sejam totalmente evitadas (ou, em casos extremos, que as usuárias evitem amamentar). A maconha - que pode ser transmitida através da fumaça e do leite materno - pode causar sedação, letargia, fraqueza e maus hábitos alimentares na criança; a cocaína tem, como efeito imediato, irritabilidade, tremores, pupilas dilatadas, taquicardia e pressão alta; e a heroína é excretada em altas quantidades pelo leite, causando dependência química no recém-nascido.

Fonte: Analytical and Bioanalytical Chemistry. Junho de 2010.

Copyright © 2010 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: