Publicidade

Notícias de saúde

Cuidados com a pele devem começar na infância, recomenda especialista

22 de outubro de 2009 (Bibliomed). Os cuidados com a pele devem começar ainda na infância para evitar problemas cutâneos e começar a retardar o envelhecimento do maior órgão do corpo humano, segundo a dermatologista Ana Cláudia Lyon, coordenadora do IV Congresso da Academia Brasileira de Dermatologia – que será realizado de 28 a 31 de outubro em Belo Horizonte. A especialista destaca que é essencial que, logo no início da vida, os pais tomem medidas de proteção da criança contra o sol, e que a adoção de hábitos saudáveis – incluindo alimentação, sono e exercícios – seja ensinada às crianças.

Os fatores do envelhecimento intrínseco, que incluem a genética e o tempo de vida, não podem ser modificados, mas alguns aspectos do estilo de vida, desde cedo, podem retardar ou acelerar o envelhecimento cutâneo. “O principal fator responsável pela aceleração do envelhecimento da pele é a exposição ao sol, devido principalmente aos raios ultravioleta. Em segundo lugar, está o cigarro. Hábitos não-saudáveis, como má alimentação e má qualidade de sono, também podem contribuir para o processo”, disse a dermatologista.

Para as crianças, que geralmente têm pele normal, Ana Cláudia Lyon recomenda “cuidados para manter essa normalidade”, com sabonetes suaves, que não ressequem muito a pele. Caso a pele seja seca, é importante o uso de hidratantes próprios para a pele infantil, que é mais delicada. A utilização de protetor solar infantil – que têm maior fixação à pele e menor potencial alergênico – também é necessário, mas apenas para crianças com mais de seis meses; antes dessa idade, são indicadas medidas como evitar a exposição solar de 10h às 15h, e o uso de roupas para proteção.

Período em que a pele costuma ser mais oleosa, a adolescência é marcada, muitas vezes, pelo surgimento de cravos e espinhas. Na prevenção da acne, é indicado o uso de sabonetes ou géis de limpeza específicos para eliminar o excesso de oleosidade. E, para lidar com as espinhas, a especialista recomenda o uso de esfoliantes três vezes por semana, além de protetor solar em gel aquoso, gel-creme ou emulsão de textura fluida – todos não-oleosos – para prevenir manchas causadas pelas espinhas, pelo ato de “espremê-las” e pela sensibilização da pele provocada por alguns produtos anti-acne. “Géis alcoólicos devem ser evitados na face, porque causam irritação local e podem resultar em aumento da oleosidade em longo prazo”, explica a especialista.

De acordo com Ana Cláudia Lyon, nos adultos e idosos, o uso de um agente de limpeza e um filtro solar adequados ao tipo de pele de cada um são as medidas mínimas de cuidado. Problemas como ressecamento (principalmente nos idosos), oleosidade, manchas, rugas devem ser tratados com produtos específicos, e há cada vez maior procura por procedimentos cirúrgicos e não-cirúrgicos – como botox, lasers, luzes, peelings e preenchimentos – em busca de uma pele mais harmoniosa e de uma aparência mais jovem.

Congressos discutem cuidados com a pele

A Academia Brasileira de Dermatologia realiza, entre os dias 28 e 31 de outubro, no Hotel Tauá em Belo Horizonte, o V Fórum Internacional sobre Envelhecimento Cutâneo, o IV Congresso da Academia Brasileira de Dermatologia e o I Simpósio sobre Doenças dos Cabelos e Unhas. Os eventos tratarão do que há de melhor no mercado em tecnologia, procedimentos, protocolos e terapêuticas para o rejuvenescimento cutâneo e para o tratamento das dermatoses, com vistas à grande preocupação mundial pela beleza e a  longevidade. Mais informações pelo telefone (31) 3227-0092 ou no site www.congressoabd.com.br.

Copyright © 2009 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: