Publicidade

Notícias de saúde

Gravidez em adolescentes cai 30% em 10 anos no Brasil, indica pesquisa

28 de setembro de 2009 (Bibliomed). Menos adolescentes estão ficando grávidas no Brasil, segundo estatísticas recentes divulgadas pelo Ministério da Saúde. Os dados mostram que a quantidade de partos realizados na rede pública de saúde em meninas com idade entre 10 e 19 anos caiu 30,6% nos últimos dez anos – o número de partos em 2008 foi de 485,64 mil, contra 699,72 mil em 1998. No Sul, Sudeste e Centro-Oeste, a redução ultrapassou os 35%.

Segundo o Ministério da Saúde, uma das razões apontadas para a redução é o acesso às políticas de prevenção e orientação sobre saúde sexual. A compra de preservativos masculinos pelo Ministério da Saúde, por exemplo, chegou a um bilhão em 2008, a maior já feita por um governo no mundo. E grande parte é distribuída gratuitamente em campanhas como as do carnaval, cujo foco são adolescentes e jovens.

Outra razão dessa redução, indicada pelo Governo Federal, foi o aumento no número de equipes de Saúde da Família, que refletiria no acesso a informações sobre planejamento familiar. Segundo as estatísticas, atualmente, os profissionais atendem 49% da população, levando informações sobre prevenção de gravidez e saúde sexual e reprodutiva aos adolescentes e jovens das cidades atendidas. Em 2000, o índice de cobertura era de 15,7%, com o total de equipes saltando de 7,6 mil para 29,7 mil.

Iniciativas como o programa Prevenção e Saúde nas Escolas também teriam ajudado na redução desses números, pois levam aos alunos da rede pública informações sobre puberdade, saúde reprodutiva, prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e o sexo seguro.

Para continuar a intervir no problema da gravidez na adolescência, o Ministério prevê novas iniciativas, principalmente para incentivar o adolescente a procurar os serviços de atenção básica. E, para que esses profissionais de saúde atendam o jovem de maneira adequada, até o fim de outubro, o Ministério da Saúde vai distribuir, em mais de 400 municípios, quatro milhões de cadernetas de saúde do adolescente – uma espécie de manual com as principais dúvidas de meninos e meninas de 10 a 16 anos –, o que poderá ajudar na manutenção dessa tendência de queda nos números da gravidez nessa faixa etária.

Fonte: Fundação Abrinq – Assessoria de Imprensa. Press release. 25 de setembro de 2009.

Copyright © 2009 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: