Publicidade

Notícias de saúde

Filha de Mãe Divorciada Vira Confidente e Ouve Além da Conta

NOVA YORK (Reuters Health) - A maioria das mães divorciadas parece confidenciar a suas filhas adolescentes assuntos delicados como situação financeira e suas reclamações em relação a seus ex-maridos, de acordo com resultados de um estudo.

Essas conversas pode fazer com que suas filhas se sintam ansiosas e depressivas, afirmam os autores do estudo publicado na revista Family Relations.

"Estas revelações podem destruir a imagem que a adolescente faz de sua família e de seu pai em particular", afirmam Susan Silverberg Koerner e sua equipe, da Universidade do Arizona, em Tucson.

Essas conversas também podem levar as adolescentes a se sentirem ansiosas em relação a seu próprio futuro, fazendo com que elas se preocupem se haverá dinheiro suficiente, por exemplo, para custear seus estudos.

Pesquisas anteriores demonstram que os adolescentes podem se sentir responsáveis e confusos em relação às revelações de seus pais. Esses sentimentos podem causar sofrimento psicológico e fazer com que os adolescentes recorram ao álcool ou às drogas.

Para analisar a relações entre mães e filhas após o divórcio, pesquisadores fizeram perguntas a 62 pares de mãe e filha. As filhas tinham idade entre 11 e 17 anos e as mães - que tinham se divorciado entre 5 a 20 meses - tinham entre 29 e 53 anos.

No geral, 67 por cento das filhas disseram que suas mães conversaram sobre sua situação financeira com alguns ou poucos detalhes e 68 por cento afirmaram que suas mães reclamaram de seu ex-marido.

As mães disseram que discutiram sobre as finanças, pois queriam expor as filhas a assuntos adultos. O tema também apareceu no contexto das reclamações das mães sobre os ex-maridos.

Entretanto, as filhas expressaram frustração, pois elas não conseguiam ajudar suas mães com as finanças familiares. Muitas afirmaram que tentaram dar apoio emocional a suas mães.

As razões para expressar raiva do ex-marido incluíram um desejo de fazer com que a filha renunciasse à visão idealizada do pai ou para colocar a culpa do divórcio em outra pessoa. Estas revelações, entretanto, deixaram as filhas mais magoadas e confusas.

Uma menina disse aos pesquisadores que ela não gostava de estar no meio de seus pais. "Nunca tenho certeza no que acreditar, pois meu pai parece diferente para mim, quando o encontro", ela escreveu.

As mulheres que não falaram sobre suas reclamações dos ex-maridos afirmaram que acreditavam que isso não seria justo a suas filhas.

De acordo com os dados, 85 por cento das mães trabalhavam fora de casa e a maioria delas passava pelo menos 40 horas no trabalho. Cerca de 26 por cento completaram pelo menos quatro anos de faculdade e 46 por cento completaram alguma faculdade e cerca de 28 por cento concluíram o ensino médio ou menos.

A maioria das mães (70 por cento) tinha renda anual inferior a 40.000 dólares, incluindo a pensão dos filhos. Enquanto os pesquisadores destacam que as descobertas precisam ser confirmadas em estudos futuros, eles recomendam que os pais devem "evitar comentários emocionais intensos e discussões com seus filhos adolescentes sobre dificuldades financeiras e negatividade em relação ao ex-marido".

Koener e sua equipe acrescentam que "revelações de mãe para filha sobre assuntos de lazer (como filmes, roupas, maquiagem), assim como conversas da mãe sobre homens e relacionamentos - diferentes das conversas da mãe sobre suas próprias sexualidade/intimidade - não tiveram relação com o sofrimento psicológico ou comportamento problemático/de risco das filhas".

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited. Reuters Limited shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: