Publicidade

Notícias de saúde

Níveis de Amônia Emitidos por Veículos Preocupam Cientistas

Por Keith Mulvihill

WASHINGTON (Reuters Health) - Durante cerca de quinze anos, fabricantes de automóveis foram obrigados a equipar seus carros e caminhões com conversores catalíticos, para ajudar a reduzir a quantidade de poluentes liberados pelos veículos. Agora, cientistas acreditam que esses sistemas estejam provocando um aumento nos níveis de amônia, contribuindo para a formação de' smog' -- poluição que se caracteriza por uma atmosfera escura, que provoca irritação e resulta da mistura do nevoeiro com fumaça e outros poluentes.

Dados recentes demonstram que a quantidade de amônia emitida pelos veículos pode ser duas vezes maior do que os níveis provenientes de animais, como as vacas.

"No que se refere aos critérios da Agência de Proteção Ambiental (EPA), os conversores catalíticos tiveram um papel fantástico ao reduzir as emissões de poluentes como monóxido de carbono, óxido nitroso, hidrocarbonetos e dióxido de carbono. Entretanto, nossa pesquisa mostra que em alguma fase do processo a amônia é formada", disse Marc Baum, do Instituto de Ciência Oak Crest, em Baldwin Park, Califórnia.

Baum apresentou os resultados de sua pesquisa sobre emissões veiculares no 220 encontro nacional da Sociedade Americana de Química, em Washington.

Baum mediu partículas emitidas por mais de 2.000 carros, que passaram por um medidor de poluentes enquanto trafegavam em uma rodovia movimentada da Califórnia. O teste revela que a quantidade de amônia emitida era cerca de quatro vezes maior do que as estimativas.

"A amônia tem sido tipicamente medida por um método indireto, que analisa o ar no fim de um túnel", disse Baum. "O problema é que a amônia pode ser reativa e depositar-se no teto e nas laterais do túnel. Desse modo, quando cientistas mediram os níveis de amônia, eles não estavam obtendo 100 por cento dos níveis emitidos pelos carros", explicou ele.

Em conjunto com uma equipe de cientistas, Baum desenvolveu um novo método analítico que pode medir mais de 20 compostos químicos emitidos por veículos, incluindo a amônia.

Baum acredita que parte do problema é a forma como os conversores catalíticos operam. Ele acrescentou, ainda, que outros fatores como o tipo de combustível, as condições de dirigibilidade e a idade dos veículos podem desempenhar um papel importante nos níveis de emissão de amônia.

Quando a amônia é liberada na atmosfera, ela pode reagir com outros poluentes comuns como o dióxido de enxofre ou o óxido nitroso e formar pequenas partículas que contribuem para a formação de 'smog'.

Até agora, cientistas ambientalistas atribuíram grande parte da liberação de amônia às vacas e outros animais domésticos. Baum acredita que os critérios de poluição do ar terão de ser redesenhados com base nessa nova informação.

Neste mês, a EPA libera seu estudo de tendências de qualidade do ar, demonstrando que a qualidade do ar dos Estados Unidos continua a melhorar. Mesmo assim, em 1999, 62 milhões de norte-americanos moravam em área com qualidade do ar ruim para pelo menos um dos seis principais poluentes.

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited. Reuters Limited shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: