Publicidade

Notícias de saúde

Medicamentos antidepressivos vendidos como anti-retrovirais no Congo

03 de Março de 2004 (Bibliomed). O aparecimento de drogas anti-retrovirais falsas na República Democrática de Congo levou a sérias preocupações entre grupos que defendem a ampla distribuição destas drogas em países afetados pelo HIV.

Segundo a organização Médicos sem Fronteiras (MSF), que atualmente realiza um programa contra o HIV/AIDS naquele país, há necessidade de controles mais rígidos para impedir as drogas falsas de entrarem no mercado. A MSF informou que até mesmo medicamentos como a fluvoxamine (um antidepressivo) e a ciclobenzaprina HCl (um relaxante muscular) foram embaladas e vendidas como " Triomune " (uma combinação de estavudina, lamivudina, e nevirapina) ou " Duovir " (uma combinação de zidovudina e lamivudina), as duas marcas de anti-retrovirais comumente prescritas e que são fabricadas através da companhia farmacêutica índia Cipla.

A República Democrática de Congo, com uma população calculada de 60 milhões de pessoas, está envolvida em uma guerra civil desde 1996, uma situação que tem feito aumentar a epidemia do HIV. Muitas pessoas com HIV/AIDS na República Democrática de Congo confiam em falsos medicamentos porque há uma escassez de anti-retrovirais de boa qualidade, o preço das drogas existentes é muito alto, e as autoridades locais não estão preparadas para lidar com o problema.

Fonte: The Lancet, Volume 363, Number 9410      28 February 2004

Veja ainda:

Impacto da AIDS devasta a África
Laboratório americano libera patente de remédio contra Aids
Programa mundial contra a AIDS necessita de 9 bilhões de dólares até 2005
África do Sul não libera o AZT para grávidas HIV-positivas
A epidemia invisível

Copyright © 2004 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: