Publicidade

Notícias de saúde

Suplementação alimentar por sonda deve ser usada em crianças submetidas à quimioterapia

Belo Horizonte, 26 de Março de 2002 (Bibliomed). A alimentação por sonda colocada no estômago ou no intestino tem se mostrado uma alternativa terapêutica importante para evitar a desnutrição e a perda excessiva de peso entre crianças que sofrem de câncer e estão sendo submetidas à quimioterapia e/ou à radioterapia. A dica é do Instituto de Oncologia Pediátrica (IOP) da Unifesp que vem adotando com sucesso a prática. Em dois anos de acompanhamento clínico, 22 crianças que utilizaram a sonda gastrointestinal recuperaram o peso perdido ao longo do tratamento. Do grupo de 33 crianças cujos familiares optaram somente pela suplementação oral, apenas 18% recuperaram peso.

Em média, avaliam os médicos do IOP, 35% dos pacientes atendidos ficam desnutridos. O problema afeta com mais freqüência crianças menores de 2 anos e acima de 10 anos, sobretudo as portadoras de tumores sólidos.

A perda de peso ocorre em função dos efeitos colaterais de terapias usadas para combater o câncer. Algumas das reações são náuseas, vômitos, diarréia, má absorção de nutrientes e alterações de paladar e de olfato, o que leva esses pacientes a recusar alimentação. O resultado pode ser a perda de peso ou até a desnutrição. Algumas crianças chegam a perder até dez quilos e precisam interromper a quimioterapia.

Os diversos tipos de canceres na infância representam a quarta causa de mortalidade infantil no Brasil. Na cidade de São Paulo, a doença aparece como a segunda responsável por óbitos de crianças entre 7 e 14 anos. A leucemia é o tipo mais comum na infância. Em seguida, predominam os tumores do sistema nervoso central, dos gânglios linfáticos e ósseos.

Crianças portadoras de câncer precisam consumir, em geral, de 30% a 50% a mais de calorias em relação aos meninos saudáveis. Em muitos casos, como em cerca de 70% das crianças com tumores sólidos, há necessidade de se indicar a complementação nutricional oral ou por sonda. O reforço é feito com uso de suplementos, que são fontes concentradas de calorias, proteínas e gorduras.

A suplementação na alimentação é importante para que haja aumento da defesa do organismo, diminuição do risco de infecções oportunistas e melhora na tolerância ao tratamento. Devido à quimioterapia, uma parcela considerável de crianças tem a sensação de saciedade e não aceita mais do que 35% de suas necessidades diárias de nutrientes. Daí a importância do uso da sonda gastrointestinal.

Os pais devem oferecer os alimentos em quantidades menores e com mais freqüência durante o dia; as refeições devem conter pouco tempero; bebidas e alimentos gelados ou na temperatura ambiente são mais adequados.

Recomenda-se cuidado excessivo com a higiene dos alimentos para evitar contaminação. É importante lavar frutas e vegetais crus e deixá-los de molho em água com hipoclorito de sódio.

Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: