Publicidade

Notícias de saúde

Repaglinida: Um tratamento dos Diabetes Tipo 2 Agora no Brasil

Uma nova terapêutica usada em grande escala nos Estados Unidos e na Europa está chegando ao mercado brasileiro, prometendo revolucionar o conceito e o tratamento da doença. Trata-se da Repaglinida, o primeiro antidiabético oral chamado de Regulador de Glicose Prandial (RGP).

Para entender o efeito desse novo medicamento, é preciso conceituar o que é o Diabetes tipo 2, que se traduz na dificuldade do organismo em metabolizar a glicose, um açúcar que é a mais importante fonte de energia do corpo humano. Isso porque a insulina, que permite a entrada da glicose nas células, não está sendo produzida em quantidade suficiente pelo pâncreas. Cabe ressaltar que esse tipo de diabetes geralmente acomete pessoas em idade adulta, que têm que se adaptar a restrições alimentares e às terapêuticas indicadas no controle da doença.

Esta opção de tratamento está indicada exatamente para resolver o aumento de glicemia pós prandial, principalmente sabendo que as pesquisas clínicas têm demonstrado que esta elevação glicêmica está relacionada com as complicações crônicas da doença.

É a primeira terapia que oferece controle glicêmico prandial efetivo e representa um conceito revolucionário no tratamento do Diabetes tipo 2, pois seu efeito é particularmente importante no momento em que o paciente diabético ingere alimento, pois nessa hora os níveis de açúcar sangüíneo se elevam e precisam ser controlados. A Repaglinida gera uma rápida secreção de insulina ao ser ingerida, sendo portanto indicada para o controle da glicemia no momento em que o paciente diabético mais necessita, isto é no momento da refeição, imitando o que ocorre no organismo sadio.

Uma outra vantagem do uso deste novo remédio é uma maior flexibilidade na alimentação do paciente diabético, pois com o uso das terapêuticas atuais se o paciente deixar de fazer uma das refeições, este terá problemas de hipoglicemia (queda nos níveis de açúcar sangüíneo). Com este medicamento isto não ocorre, pois o paciente somente ingere o produto se for se alimentar, o que impede a ocorrência da hipoglicemia. Para facilitar o entendimento para o paciente usamos a seguinte frase "Uma refeição, uma dose, sem refeição, sem dose". O Dr. Marcos Tambascia, do Hospital de Clínicas da UNICAMP, especialista em diabetes, constata esses benefícios do medicamento e acrescenta: "O produto também não gera ganho de peso, efeito comum e um dos grandes desafios no tratamento dos diabetes com os produtos tradicionais".

Diabetes - A Doença Que Mais Cresce em Todo o Mundo

O principal estudo sobre Diabetes tipo 2 no Brasil foi o Censo Nacional de Diabetes, realizado em 1991 pelo Ministério da Saúde e mostrava um crescimento acelerado da doença que na época atingia cerca de 5 milhões de brasileiros. O mais grave é que 50% dos casos diagnosticados no Censo não sabiam que eram diabéticos. Hoje, o Brasil deve ter cerca de 7 milhões de diabéticos.

Segundo Dr. Marcos Tambascia, do Hospital de Clínicas da UNICAMP, especialista em diabetes, a Organização Mundial da Saúde calcula que há 165 milhões de diabéticos no mundo e esse número tende a crescer nas próximas décadas, devendo atingir 240 milhões de pessoas em 2010 e 320 milhões até 2025. Os números indicam que o Diabetes tipo 2 deve ser a doença mais freqüente no próximo século em todo o mundo, estando ligada às principais causas de mortalidade do homem atualmente. Esse crescimento acelerado se dá muito em função dos hábitos da vida moderna, tais como sedentarismo e obesidade, entre outros fatores. Hoje, controlar o Diabetes tipo 2, doença que quando se desenvolve não tem cura, é bem mais fácil.

Parceria

A Repaglinida é o princípio ativo de um medicamento lançado através da parceria de dois importantes laboratórios, Novo Nordisk Farmacêutica do Brasil e Medley Indústria Farmacêutica, respectivamente com os nomes comerciais Novonorm e Prandim, ambas marcas registradas da Novo Nordisk.

Para disponibilizar hoje ao mercado brasileiro esse antidiabético oral, última geração de medicamentos para diabéticos, a Novo Nordisk investiu em pesquisa, assumindo mais uma vez seu compromisso em buscar inovações terapêuticas para as diabetes. Este laboratório é um fabricante mundial de insulinas e dos mais modernos sistemas de aplicação de insulina, que há 8 anos atua no mercado brasileiro, investe também em programas educacionais junto a universidades, pois acredita que ao garantir o acesso à informação, contribui para a formação de novos pesquisadores e especialistas em diabetologia, visando em todas as suas ações a melhoria da qualidade de vida dos pacientes diabéticos.

A Medley, indústria farmacêutica brasileira, é uma das primeiras empresas do seu setor a conquistar o Certificado ISO 9001, já possui uma longa história de sucesso junto aos endocrinologistas brasileiros por sua liderança no segmento de produtos destinados ao tratamento da obesidade, doença essa intimamente relacionada a Diabetes tipo 2.

Copyright © 2000 BoaSaúde

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: