Publicidade

Notícias de saúde

Julgamento de Enfermeiras e Médico na Líbia Preocupa AI

SÓFIA, Bulgária (Reuters) - A Anistia Internacional, um grupo de defesa dos direitos humanos, afirmou na quarta-feira estar preocupada com o modo como a Líbia está tratando seis profissionais búlgaros da área de saúde acusados de infectar centenas de crianças líbias com o HIV.

O julgamento dos búlgaros, que começou oficialmente no dia 7 de fevereiro do ano passado, foi adiado oito vezes a pedido da defesa. Os acusados, cinco enfermeiras e um médico, podem ser condenados à morte se forem considerados culpados.

O advogado deles, Osman Byzanti, afirmou na quarta-feira que o julgamento pode ser adiado novamente no sábado.

"Nossa preocupação principal é com a possibilidade de os procedimentos realizados antes do julgamento não obedecerem os padrões internacionais", disse Jurgens Carsten, da seção do Oriente Médio da Anistia Internacional.

"Os búlgaros foram detidos há dois anos e passaram mais de um ano sem assistência médica ou jurídica.

Nossa principal preocupação é com o fato de a Líbia não ter investigado as denúncias de tortura contra os acusados durante o ano que antecedeu o julgamento", afirmou.

Byzanti declarou que dois de seus clientes haviam dito ter confessado sob coação.

O ministro da Justiça da Bulgária, Teodossyi Simeonov, afirmou que os acusados contaram ao cônsul belga na Líbia terem sido torturados e que as enfermeiras haviam sido pressionadas para se converterem ao islamismo.

Autoridades líbias negaram as acusações de tortura e prometeram realizar um julgamento justo.

O caso detonou graves críticas ao governo da Bulgária, acusado de não agir com a energia e rapidez necessárias para ajudar seus nacionais.

Os seis são acusados de ter infectado intencionalmente 393 crianças líbias com derivados de sangue contaminados com o HIV, no que seria, segundo as autoridades, um plano para desestabilizar a Líbia.

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2001 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited. Reuters Limited shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: