Publicidade

Notícias de saúde

Acido Fólico Pode Reduzir Risco de Má-Formação Congênita

Por Suzanne Rostler

NOVA YORK (Reuters Health) - Mulheres grávidas que tomam ácido fólico reduzem o risco de seus filhos terem problemas no tubo neural, tipo de má-formação congênita que afeta o cérebro e a coluna.

Os resultados de um novo estudo sugerem que a vitamina também reduz o risco de outros problemas congênitos como fissura palatina ou anormalidades do sistema cardiovascular e do aparelho urinário.

As conclusões são de um estudo realizado com mulheres que, durante a gravidez, tomaram antibióticos ou outras drogas que sabidamente reduzem o ácido fólico no organismo. O trabalho foi publicado na edição de 30 de novembro do New England Journal of Medicine.

"Estas descobertas aumentam a força das recomendações de saúde pública para que mulheres com em idade fértil tomem um suplemento diário de ácido fólico", disse à Reuters Health a chefe do estudo, Sonia Hernandez-Diaz, da Escola de Saúde Pública da Universidade de Boston, em Brookline (Massachusetts).

Certos medicamentos anticonvulsivos, antibióticos e outras drogas podem reduzir os níveis sanguíneos de folato, vitamina necessária para o desenvolvimento do embrião e a produção de DNA.

Sabe-se que baixos níveis de folato na mãe podem resultar em problemas no tubo neural e que tomar ácido fólico pode evitá-los. De qualquer forma, não está claro se a vitamina protege contra outros tipos de má-formação congênita.

"Estudos anteriores sugeriram que o ácido fólico tomado como parte de um regime multivitamínico poderia reduzir o risco de más-formações cardiovasculares, no aparelho urinário e fendas palatinas, mas até agora foi difícil determinar qual componente foi o responsável pela diferença -- o ácido fólico ou as outras vitaminas", disse Hernandez-Diaz.

Os pesquisadores entrevistaram mulheres que usavam drogas que reduzem os níveis sanguíneos de folato, incluindo aproximadamente 7 mil mulheres cujos filhos apresentaram más-formações cardiovasculares, no trato urinário e fissuras no palato. As mães de cerca de 8.300 bebês com problemas congênitos não relacionados a medicação também foram entrevistadas.

As mulheres que tomaram no segundo ou terceiro mês de gravidez certas drogas que bloqueiam o ácido fólico, como trimetoprim (antibiótico) ou triantereno (diurético), foram de duas a três vezes mais propensas a ter um filho com fenda palatina ou anormalidade cardiovascular que mulheres que não tomaram as drogas. Nas mulheres que tomaram suplemento de vitamina contendo ácido fólico, o risco foi bastante reduzido.

As mulheres que tomaram anticonvulsivos também tiveram maior risco de ter um filho com fenda palatina, problemas cardiovasculares ou anormalidades do trato urinário, mas os suplementos multivitamínicos não reduziram o risco. Estas drogas poderiam ter outros efeitos tóxicos além de bloquear o ácido fólico, observaram os autores.

No geral, as conclusões sugeriram que o ácido fólico poderia impedir muitos tipos de má-formação congênita, informaram os pesquisadores.

"Mulheres grávidas poderiam reduzir o risco de os filhos terem uma série de más-formações se tomassem suplementos de ácido fólico na gravidez", disse Hernandez-Diaz.

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: