Publicidade

Artigos de saúde

Esterilização Feminina

O que é a Esterilização Feminina

Esterilização feminina é uma forma de controle da natalidade na qual as trompas de falópio da mulher são fechadas por meio de cirurgia. Normalmente, as trompas de falópio carregam os óvulos até o útero. Fechar as trompas através de cirurgia previne a gravidez porque impede o espermatozóide de alcançar e fertilizar o óvulo.

É importante lembrar que a menos que as trompas tenham sido simplesmente amarradas ou estejam com grampos, a esterilização é normalmente permanente e pode não ser reversível através de uma segunda operação.

Uma mulher também pode se tornar estéril se o útero for removido (histerectomia).

Quando é usada?

Os médicos geralmente recomendam a esterilização nas seguintes situações:

- Quando um casal tiver mais filhos do que queriam
- A gravidez colocar a vida em risco
- Houver um alto risco de transmitir uma doença hereditária grave.

Nos Estados Unidos, aproximadamente uma em cada quatro mulheres casadas entre 15 e 44 anos escolhem a esterilização como meio de controle de natalidade.

Quais os preparativos para a esterilização?

O médico faz exames e informa-se sobre o histórico clínico, principalmente sobre a possível existência de problemas relacionados com o sistema reprodutor e confirma o desejo da esterilização permanente.

Relate ao médico alguma provável reação alérgica a anestésico.

O que acontece durante a esterilização?

Os procedimentos mais comuns usados são a laparoscopia e a minilaparotomia. Estas cirurgias são feitas em uma clínica, um consultório médico ou em um centro ambulatorial cirúrgico. A maioria das pacientes vão para casa no mesmo dia.

Antes que a cirurgia comece deverá ser aplicada anestesia local ou geral. A anestesia local paralisa parte do corpo, bloqueando a dor enquanto estiver acordada, enquanto a anestesia geral relaxa os músculos, causa sonolência e também bloqueia a dor.

Em uma laparoscopia, o médico faz um ou dois pequenos cortes no abdômen. Um é feito logo abaixo do umbigo e outro na região púbica. Um laparoscópio é introduzido através de um dos cortes. Com o auxílio de uma câmera, para que possa ver dentro do abdômen, o médico introduz um instrumento cirúrgico através da outra pequena incisão para cortar, amarrar, queimar ou grampear as trompas de falópio.

A minilaparotomia é mais freqüentemente feita depois do parto porque a posição do útero permite ao médico alcançar mais facilmente as trompas de falópio. Este procedimento requer apenas uma incisão que deve ser grande o suficiente para que o cirurgião veja o interior do abdômen e coloque um instrumento através do corte para cortar, amarrar ou queimar as trompas de falópio.

Uma histerectomia é uma cirurgia para remover totalmente ou parcialmente o útero. Às vezes, os ovários e as trompas de falópio também são removidos, o que é chamado ooforectomia. Médicos não recomendam uma histerectomia a menos que existam outras razões além da esterilização para fazê-la.

O que acontece após o fechamento cirúrgico das trompas?

Alguma dor ou mal-estar poderá ser sentido por 24 a 48 horas depois de uma laparoscopia ou minilaparotomia.

O médico procurará certificar-se de que esteja apresentando uma cicatrização adequada.

Se estiver usando pílulas anticoncepcionais antes da esterilização, poderá perceber algumas mudanças no ciclo menstrual após o procedimento cirúrgico. Estas mudanças não são causadas pela cirurgia e sim porque o uso das pílulas foi suspenso.

Quais são os benefícios deste procedimento?

Esterilização permanente é uma forma confiável de controle da natalidade.

Quais são os riscos associados a este procedimento?

São raras as complicações após a esterilização.

- Existem alguns riscos ao tomar anestesia geral. Discuta-os com seu médico.
- Uma anestesia local pode não paralisar completamente a área necessária e poderá sentir algum mal-estar. Reações alérgicas podem ocorrer em alguns casos, portanto a anestesia local é considerada mais segura do que a anestesia geral.
- Probabilidade de infecção ou hemorragia.
- Cicatrizes (quelóides) podem formar-se.
- Em alguns casos, pode acontecer gravidez tubária (gravidez fora do útero), principalmente se as trompas foram queimadas.

Este procedimento tem 0,4% de chance de falhar.

Quando procurar o médico?

Procure imediatamente o médico se:

- Tiver febre, hemorragias ou corrimentos vaginais.
- Apresentar sangramento no local da cirurgia.
- Perceber um corrimento verde ou amarelo no local da cirurgia.
- Se o local da cirurgia ficar avermelhado ou sensível ao toque.

Original de: Phyllis G. Cooper, R. N., M.N., e "Clinical Reference Systems"



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: