Publicidade

Artigos de saúde

Acupuntura

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste artigo:

- Como a acupuntura funciona?
- Afinal, acupuntura é eficaz ou não?
- Quais são as indicações de acupuntura?

Acupuntura é um método chinês para aliviar a dor e tratar doenças. Atualmente, a acupuntura vem sendo empregada com sucesso no tratamento de vários distúrbios dolorosos, com bons índices de sucesso em portadores de Espondilite Anquilosante

O procedimento envolve a inserção de agulhas em várias partes do corpo. A acupuntura tem sido utilizada para tratar doenças como asma, surdez, úlceras, doenças dos olhos e alguns tipos de doenças mentais e faz parte do sistema de saúde na China há mais de 2.500 anos.

De acordo com a filosofia chinesa, a doença e a dor ocorrem devido a um desequilíbrio entre as duas principais forças da natureza – o Yin e o Yang. Acredita-se que a acupuntura restaure este equilíbrio. Muitos chineses e seguidores acreditam que a acupuntura influencie uma força vital (chamada QI) que flui ao longo de 12 meridianos (canais de energia que correm longitudinalmente no corpo) pareados e dois não-pareados.

Os terapeutas – chamados acupunturistas – inserem agulhas finas em um ou mais dos centenas de pontos específicos ao longo dos meridianos. A dor é mínima e logo desaparece, deixando lugar a uma sensação de peso ou dormência enquanto as agulhas estiverem no lugar. O paciente permanece consciente durante o tratamento.

Apenas recentemente a acupuntura foi reconhecida como especialidade médica pelo Conselho Federal de Medicina do Brasil.

Como a acupuntura funciona?

Os cientistas propuseram três grandes teorias de como a acupuntura funciona. Uma teoria sugere que os meridianos realmente existem e conectam os órgãos do corpo de maneira bastante específica. De acordo com esta teoria, a acupuntura aumenta a atividade ao longo dos meridianos, influenciando assim o funcionamento de um determinado órgão.

A segunda teoria afirma que a acupuntura funcione, pelo menos em parte, aumentando a produção cerebral de analgésicos naturais chamados endorfinas. Estas substâncias são químicos correlacionados com a morfina e influenciam a sensibilidade dolorosa do corpo. O fato de que os antagonistas opioides – como a naloxona – revertem os efeitos analgésicos da acupuntura reforça esta teoria.

A estimulação através da acupuntura também deve ativar o hipotálamo e a glândula pituitária, resultando em um amplo espectro de efeitos sistêmicos. Foram documentadas alterações na secreção de neurotransmissores e neurohormônios e na regulação do fluxo sangüíneo, tanto central quanto perifericamente.

A terceira teoria sustenta que a acupuntura possa funcionar via sistema nervoso, desencadeando sinais que interrompem as mensagens dolorosas enviadas ao cérebro. Esta hipótese é conhecida como a "Teoria do portal da dor".

A despeito de esforços consideráveis para compreender a anatomia e a fisiologia dos "pontos" da acupuntura, a definição e caracterização destes pontos permanece controversa. Ainda mais alusiva é a base científica de alguns conceitos chaves da medicina Oriental tradicional, tais como circulação do Qi, o sistema de meridianos e outras teorias correlatas, que são difíceis de conciliar com a informação biomédica contemporânea, mas que continuam tendo um papel importante na avaliação dos pacientes e na formulação do tratamento na acupuntura.

Deve-se observar que, assim na acupuntura como em muitas outras terapias, os efeitos chamados "inespecíficos" respondem pelo sucesso do tratamento em si. Fatores como qualidade do relacionamento médico/paciente, grau de confiança, expectativas do paciente e outros aspectos que compõe o cenário do tratamento determinam a evolução do tratamento

Afinal, acupuntura é eficaz ou não?

A acupuntura é uma intervenção complexa que varia de acordo com o paciente, ainda que as queixas sejam similares. O número e a extensão dos tratamentos e os pontos específicos utilizados variam de indivíduo para indivíduo e até mesmo durante o tratamento. Infelizmente, os modelos de pesquisa recentes, baseados em relatos de casos, se mostraram inadequados para avaliar a eficácia da acupuntura.

Da mesma forma que em outros tipos de tratamentos, alguns indivíduos não respondem bem à acupuntura. Contudo, a maioria das pessoas apresenta alguma resposta favorável. As evidências da eficácia da acupuntura com agulha na náuseas e nos vômitos em adultos no período pós-operatório, ou pós-quimioterapia, ou na gestação, são obscuras.

Existem vários estudo demonstrando a eficácia da acupuntura no tratamento da dor dental pós-operatória, da cólica menstrual, do cotovelo de tenista e da fibromialgia, sugerindo que a acupuntura possa ter um efeito mais geral sobre a dor. Entretanto, outras pesquisas não mostraram qualquer eficácia da acupuntura no tratamento da dor. Evidências recentes demonstraram que a acupuntura não foi eficaz no abandono do tabagismo e pode não ser eficaz em outras doenças.

Apesar de muitas doenças terem sido abordadas na literatura e algumas pesquisas mostrarem resultados animadores, a qualidade e a quantidade dessas evidências não são suficientes para sustentar afirmações incontestáveis quanto à eficácia da acupuntura neste momento. Contudo, as evidências atuais já são suficientes para estimular novas pesquisas.

Quais são as indicações de acupuntura?

Desde os anos 50, os médicos chineses vêm realizando cirurgias utilizando a acupuntura como anestésico local. O paciente permanece completamente consciente durante a operação.

Os praticantes da acupuntura dizem que o método é eficaz para cirurgias complicadas no estômago, no tórax, no pescoço e na cabeça.

Na Espondilite Anquilosante, a acupuntura pode ser empregada para reduzir a intensidade no uso de analgésicos e antiinflamatórios diversos, diminuindo o risco de efeitos medicamentosos adversos.

Outras indicações para acupuntura incluem:

• Tratamento da dor pós-operatória
• Tratamento da náusea e dos vômitos pós-quimioterapia
• Complemento no tratamento de viciados em drogas
• Reabilitação de derrame cerebral
• Dores de cabeça
• Cólicas menstruais
• Cotovelo de tenista (um tipo de inflamação do cotovelo)
• Fibromialgia
• Dor miofascial
• Osteoartrite
• Dores lombares
• Síndrome do túnel do carpo
• Asma

Copyright © 2016 Bibliomed, Inc.   06 de setembro de 2016



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: