Publicidade

Artigos de saúde

Rouquidão e outros problemas das cordas vocais

Equipe Editorial Bibliomed

Neste artigo:

- Introdução
- Principais agentes que afetam a voz
- Rouquidão
- Tratamento
- Prevenção

Introdução

A voz é o som que resulta da vibração das pregas vocais e de todas as estruturas do chamado aparelho fonador. A laringe é como se fosse um pequeno tubo que comunica a cavidade oral com a traqueia, levando o ar até os pulmões. Ela contém as pregas vocais e, quando o ar sai dos pulmões, ele vibra essas pregas, que se movimentam reduzindo ou aumentando a passagem do ar, produzindo sons que se amplificam no percurso até a boca.

As pregas vocais podem ser acometidas por várias doenças, incluindo o câncer de laringe, a rouquidão funcional, os nódulos e os pólipos. Alguns desses problemas resultam de uso excessivo da voz, sendo completamente revertidos após descanso vocal. Abordaremos nesse texto os problemas mais comuns.

Principais agentes que afetam a voz

Fatores internos e externos podem levar a alterações na voz. Entre esses:

• Álcool;
• Uso de drogas: ressecam a laringe, prejudicando a voz;
• Cigarro: a fumaça quente irrita e agride a mucosa da laringe. Provoca tosse crônica (que dura mais que três semanas) e pigarro;
• Alergias;
• Alimentação;
• Hábitos vocais inadequados: pigarrear, tossir com esforço;
• Poluição do ar;
• Ar condicionado: reduz a umidade do ar, ressecando a laringe.
Problemas orgânicos.

Rouquidão

A rouquidão, ou disfonia, é um problema bastante comum na população, sendo definida como qualquer alteração no caráter da voz. É a falta de clareza do som. Na grande maioria das vezes, é um problema transitório, associado a infecções da laringe. A rouquidão pode ser classificada como aguda (curta duração) ou crônica (15 dias ou mais).

As causas de rouquidão podem ser divididas em dois grandes grupos:

1. Funcionais

Nesse grupo, a rouquidão é causada pelo próprio uso da voz, não sendo encontrada nenhuma doença das cordas vocais. São dois os mecanismos responsáveis:

• Uso incorreto da voz: pode ocorrer devido à imitação de outros padrões de voz, que não o do próprio indivíduo; em casos de indivíduos que usam intensamente a voz (como os cantores), mas que não tomam os cuidados adequados.

• Inadaptações fônicas: ocorre devido à falta de adaptação do aparelho fonador à produção da fala. Essas inadaptações podem ser anatômicas, como malformações da laringe, o que dificulta a produção dos sons; ou funcionais, como alterações das relações fala/respiração, fala/deglutição.

2. Orgânicas

Ocorre quando encontramos alguma alteração anatômica das pregas vocais. Existem vários tipos:

• Nódulos, pólipos: são tumores benignos das cordas vocais, e podem se originar do mau uso da voz;

• Cistos: são tumores também benignos, que contém líquido no seu interior (são como "bolsas de líquido");

• Edema de Reinke: é o inchaço das cordas vocais, que ocorre devido ao tabagismo (fumo). Esse inchaço prejudica a movimentação das pregas vocais. É a principal causa de voz rouca e grave em mulheres fumantes;

• Papilomas: são tumores vegetantes (com aspecto semelhante ao de "couve-flor") que causam rouquidão importante;

• Paralisia das pregas vocais: ocorre quando há uma lesão dos nervos que comandam as pregas. Existem várias causas: cardíacas, tumores de outros locais próximos, após cirurgias na região;

Existem outras causas também comuns, como o refluxo gastresofágico (há passagem de secreção ácida do estômago para o esôfago, que pode alcançar a laringe e irritar as pregas vocais); gripes e resfriados; após esforço vocal intenso (após shows, jogos de futebol).

Entre os casos de rouquidão aguda, a causa mais comum é a laringite aguda, ou seja, inflamação aguda da mucosa da laringe devido a infecções por vírus ou bactérias. Nesses casos, a rouquidão pode aparecer sozinha ou se acompanhar de outros sintomas, como tosse, coriza ("nariz escorrendo"). Geralmente surge após uma gripe ou resfriado, não requerendo tratamento e desaparecendo espontaneamente.

Toda pessoa com quadro de rouquidão que dure mais de 10-15 dias deve procurar um médico para avaliação detalhada. A maioria das causas agudas (laringite aguda) resolve-se antes de 10 dias, e não requer maiores preocupações. Já a rouquidão crônica, duradoura, demanda atenção especial.

Tratamento

O especialista responsável é o otorrinolaringologista, e ele é capaz de fazer exames que permitem a visualização das pregas vocais. Com isso, ele consegue identificar a presença de lesões que podem ser responsáveis pela rouquidão. O tratamento vai, então, depender do tipo de causa.

Nos casos funcionais, o principal tratamento é a chamada fonoterapia. O paciente aprende como usar a fala de maneira mais equilibrada e adequada. Isso é conseguido pela realização de exercícios específicos, orientados por profissional capacitado, o fonoaudiólogo.

O tratamento dos nódulos pode ser feito com a fonoterapia, mas em alguns casos é necessária a realização de cirurgia para sua retirada. Os pólipos são retirados com cirurgia, seguida de fonoterapia no pós-operatório. Os cistos recebem o mesmo tratamento dos pólipos. O edema de Reinke é tratado com a interrupção do tabagismo (o que é indicado sempre, para todos os pacientes com rouquidão), e também fonoterapia.

Os papilomas são tratados com cirurgia, porém a possibilidade de recidiva é grande. A paralisia de pregas vocais é tratada com fonoterapia.

Prevenção

Alguns cuidados para ter uma voz saudável:

• Evite o tabagismo e o consumo de bebidas alcoólicas;
• Consumo moderado de café;
• Não praticar a automedicação. Alguns medicamentos podem agredir a laringe;
• Beba bastante líquido durante o dia, pelo menos 2 litros;
• Evite passar grande parte do tempo em ambientes poluídos;
• Evite gritar e alterar seu padrão de voz.

Copyright © 2016 Bibliomed, Inc.

Publicado em 05 de janeiro de 2006
Revisado em 13 de abril de 2016



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: