Publicidade

Artigos de saúde

O Que é Osteoartrite e o Que a Provoca?

Neste Artigo:

- Artrites x Osteoartrite
- Epidemiologia da Osteoartrite
- O Que Acontece com as Articulações na Osteoartrite ?
- Quais são os Fatores de Risco na Osteoartrite ?
- Osteoartrite e Debilidade Física
- Osteoartrite e Síndrome da Dor e Debilidade Músculo-Esquelética

- Veja Outros Artigos Relacionados ao Tema

"A osteoartrite é o tipo de artrite que mais afeta a população mundial levando à diminuição da qualidade de vida de milhões de pessoas em todo o mundo. Afeta principalmente os joelhos, quadris e mãos, regiões muito importantes para a independência física do ser humano. É uma causa muito importante de afastamento do trabalho e de aposentadoria precoce. Além disso, é responsável por inúmeras cirurgias numa população cujo risco cirúrgico é muito elevado - os idosos. Durante muito tempo, pouco se sabia sobre como ocorriam as alterações articulares que levam à debilidade física. Hoje, sabe-se de vários fatores de risco para o desenvolvimento do quadro, cujo conhecimento tem facilitado uma melhor abordagem terapêutica e uma melhor prevenção da doença".

Artrites x Osteoartrite

O termo artrite se refere à inflamação nas articulações ou juntas do corpo humano. As juntas são superfícies onde há o contato entre dois ou mais ossos, possibilitando assim a mobilidade do esqueleto humano. São estruturas muito complexas devido aos seus diversos componentes e sua interação entre os mesmos. Existem vários tipos de artrites, que são causadas por diversos fatores e doenças. Costuma-se diferenciar, a princípio, as artrites relacionadas com sintomas sistêmicos (como febre, sinais inflamatórios, anemia, etc) daquelas cujas manifestações se restringem às articulações envolvidas. Dentre essas últimas está a osteoartrite, também chamada de osteoartrose ou artrose. É o tipo de artrite mais comum, afetando milhões de pessoas somente nos EUA. Devido à complexidade de fatores envolvidos na sua causa, as abordagens terapêuticas têm aumentado. Com o intuito de se discutir tais idéias e novidades sobre a área, o Instituto de Saúde Nacional dos EUA se reuniu em uma conferência com especialistas no assunto. O resumo foi apresentado na revista médica Annals of Internal Medicine deste ano. O texto que segue irá enfatizar a primeira parte desse resumo que transcorre sobre o que é osteoartrite e as causas e fatores de risco que levam ao seu desencadeamento.

Epidemiologia da Osteoartrite

Por vários anos, a osteoartrite tem sido encarada como uma doença com poucas opções de tratamento, visão essa que está rapidamente se modificando. Estudos de diversas fontes têm chegado a conclusões sobre os vários fatores que agem interligados no desencadeamento dessa desordem, lançando luz para diversas formas de tratamento, sejam elas nutricionais, cirúrgicas ou educativas.

Como já dito, a osteoartrite é a forma mais comum de artrite. Nos EUA, a forma que acomete o joelho está presente em cerca de 6% dos adultos acima de 30 anos de idade e a forma que acomete o quadril em 3%. É uma doença que aumenta com a idade. Devido à debilidade freqüente do joelho e quadril, é a doença que mais atrapalha o caminhar e subir escadas. É também a maior causa de colocação de próteses de joelho e quadril. Devido ao aumento da expectativa de vida da população como um todo e ao início da doença ainda na meia-idade, ela causa uma grande diminuição de força produtiva de trabalho e um aumento de aposentadorias precoces. Estimativas norte-americanas sugerem que o gasto com artrites (incluindo a osteoartrite) chegue a 2% do PIB daquele país.

Antes dos 50 anos de idade, a ocorrência de osteoartrite na maioria das articulações é maior nos homens do que nas mulheres. Após os 50 anos, as mulheres lideram, especialmente nas articulações das mãos, pés e joelhos. Na maioria dos estudos, as articulações do quadril são mais acometidas nos homens.

O Que Ocorre Com As Articulações na Osteoartrite?

Sabe-se até o momento que há uma degeneração progressiva da cartilagem articular (estrutura que une os ossos) com alterações nos ossos que estão sob a mesma, que se tornam mais rígidos e formam espículas. Há também, alteração dos músculos e ligamentos que estabilizam a articulação, que se tornam inflamados e mais fracos. Muitas pessoas que possuem várias alterações radiográficas, não possuem sintomas! Há dor quando se utiliza a articulação, a qual, infelizmente ainda não se sabe a causa.

Há dúvidas se a osteoartrite é uma doença específica ou se é o resultado de várias doenças. Alguns pontos fortalecem a segundo hipótese, quais sejam:

- A osteoartrite dos joelhos e quadris parece estar associada com fatores de risco diferentes, devendo por isso, ser considerada como uma doença única.
- A osteoartrite generalizada parece estar relacionada com fatores genéticos mais do que com fatores mecânicos locais importantes.
- Há uma divisão entre osteoartrite secundária (quando se sabe a causa) e primária (quando a causa é desconhecida).
- Há dois tipos de osteoartrite do quadril, em um há uma maior quantidade de neoformação óssea (deposição de cristais de pirofosfato) e no outro há deposição de cristais de fosfato de cálcio e osteoporose.

Traumas mecânicos podem levar a osteoartrite, mas somente naquelas pessoas geneticamente predispostas.

Na conferência, foram enfatizadas as osteoartrites dos joelhos, quadril e mãos, devido à importante debilidade física que as mesmas acarretam e ao fato de não se conhecer melhor o acometimento da coluna lombar e pescoço.

Quais São os Fatores de Risco Para Osteoartrite?

Etnia

Alguns estudos obtiveram um número maior de acometimento do quadril em homens negros, enquanto outros estudos não obtiveram nenhuma diferença entre a raça branca e negra. Percebe-se que os negros desenvolvem alterações radiológicas mais graves do que os brancos.

Hormônios e Densidade Óssea

Considera-se atualmente que o estrógeno tenha algum papel na proteção para a osteoartrite, pois alguns estudos perceberam uma menor incidência naquelas mulheres pós-menopausa que usaram reposição hormonal. Isso ainda não é certo pois pode haver outros fatores que não o estrógeno, que estejam protegendo tal população. O estrógeno, por sua vez, pode retardar a evolução das alterações ósseas na doença já presente.

Tem sido observada uma relação inversa entre osteoporose e osteoartrite. Aquelas mulheres com osteoartrite têm uma densidade mineral óssea mais elevada. Entretanto, uma vez instalada a doença, aquelas mulheres com uma densidade mineral óssea menor têm uma evolução mais rápida da doença.

Fatores Nutricionais

A exposição a várias substâncias oxidantes contribui para desenvolvimento de muitas anormalidades da terceira idade, incluindo a osteoartrite. O uso de vitamina C mostrou uma melhora na evolução da doença, enquanto a vitamina E não se mostrou importante. Outra vitamina que se mostrou importante tanto na evolução da doença quanto no seu surgimento, foi a vitamina D, substância essa, muito importante para o remodelamento ósseo.

Fatores Genéticos

A osteoartrite, em todas as suas formas, parece ter uma determinação genética significativa. Tais fatores são responsáveis por pelo menos 50% dos casos nas mãos e quadris.

Marcadores Bioquímicos

Existem substâncias já pesquisadas que podem ser medidas no líquido articular para se prever a rapidez da evolução da doença ou a predisposição da pessoa para a mesma. Poderão também ser utilizados para a avaliação do tratamento.

Fatores Biomecânicos

A obesidade além de favorecer o aparecimento da doença, também aumenta sua progressão. O tipo mais relacionado com esse fator é a osteoartrite dos joelhos. Estudos demonstraram que a perda de peso diminui o risco da doença. A osteoartrite do quadril não mostrou uma relação com a obesidade, somente nos casos de acometimento bilateral.

Alterações na posição dos ossos (tíbia e fêmur) em relação ao joelho pode predispor a osteoartrite assim como alterações na sensibilidade motora e posicional (propriocepção) dos joelhos.

Lesões congênitas (displasias), traumatismos articulares como fraturas, trauma dos meniscos e ligamentos, precedem o desenvolvimento de osteoartrite em uma grande porcentagem de pessoas. Tais alterações aumentam o estresse articular o que leva a degeneração das superfícies articulares e das estruturas que as envolvem.

Profissões em que os trabalhadores utilizam certas articulações e grupos musculares com repetição, levam ao aumento do risco de osteoartrite. Trabalhos que exigem o carregamento de grandes pesos estão relacionados com um risco maior de osteoartrite dos joelhos e quadris.

A participação em alguns esportes competitivos aumenta o risco de osteoartrite. Esses esportes são aqueles que demandam impactos diretos e de alta intensidade contra o chão ou outros participantes ou equipamentos. Por exemplo, futebol e futebol americano. Torções repetitivas também podem levar à doença como é o caso do baseball.

A fraqueza muscular, principalmente dos músculos da coxa (quadríceps), está relacionada com o desenvolvimento da osteoartrite do joelho. Isso é um fato novo, pois sempre se pensou que tal fraqueza era resultante das alterações articulares. De fato, estudos demonstraram que pacientes com massa muscular normal, mas com menos força, tiveram um maior índice de osteoartrite. Também ficou comprovado que o aumento da força muscular nesses músculos leva a uma diminuição do risco para a doença.

Osteoartrite e Debilidade Física

O impacto dessa doença na atividade física é intenso. Para se ter uma idéia, o risco de debilidade física (necessidade de ajuda para andar e subir escadas) atribuída à osteoartrite do joelho é tão grande quanto o risco de doenças cardiovasculares e maior que qualquer outra condição médica em idosos. Dentre os fatores relacionados com essa debilidade, estão a dor, fatores psicossociais como sintomas depressivos, fraqueza muscular, pequena capacidade aeróbica e intensidade das alterações radiológicas.

Osteoartrite e Síndrome da Dor e Debilidade Músculo-Esquelética

É importante que se separe conceitualmente a osteoartrite e a síndrome de dor e debilidade músculo-esquelética. Enquanto a osteoartrite está associada com o aumento da idade, obesidade, lesões articulares, deformidade prévia e relaxamento ligamentoso, a SDDME é um problema muito mais amplo. Ele é previsto pelo avançar da idade, osteoartrite, obesidade, sedentarismo, baixo nível de independência, condições outras como alcoolismo e tabagismo, depressão, baixo nível educacional e econômico. Muitos desses fatores para SDDME podem ser modificados.

A prevenção ou atraso do aparecimento da osteoartrite envolve mudanças no estilo de vida que podem prevenir os outros problemas clínicos mais amplos da SDDME. Ao se conseguir adiar o início das manifestações, pode-se levar a fase ruim da doença para uma idade mais avançada e por um menor espaço de tempo.

Fonte: Ann Intern Med. 2000; 133:635-646.

Copyright © 2003 Bibliomed, Inc.                 15 de Setembro de 2003


Artigos relacionados com esse tema:

Osteoartrose - Descubra Mais Sobre os Seus Males

Proteja Sua Coluna Durante a Gravidez

Pseudoartrose: Dor de Origem Óssea



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: