Publicidade

Artigos de saúde

Dores no Pescoço

As dores no pescoço são o sintoma predileto de diversas doenças. Algumas dores podem ter uma certa gravidade, mas são tratáveis na maioria dos casos. Os exercícios de relaxamento e a atividade física são as melhores ferramentas para preveni-las.

O primeiro lugar no ranking de visitas ao quinesiologista é ocupado pelas dores nas cadeiras, e as dores que afetam o pescoço não ficam atrás. Problemas circulatórios, posturais, discais, artroses, etc, são as diferentes doenças relacionadas com a região cervical que constituem a segunda causa de consulta quinesiológica. Em alguns casos, por não serem tratadas, estas doenças que se manifestam através de dores cervicais, podem tornar-se graves.

Um leque de dores

As artroses – o desgaste das articulações que ocorrem com o passar do tempo - é uma causa muito freqüente de dores e rigidez cervical nas pessoas de idade. Esta rigidez que lenta e silenciosamente instala-se no pescoço do paciente condiciona sua mobilidade e sua postura, limitando seus movimentos e arqueando a coluna.

“É muito comum que este desgaste das articulações cervicais produzam os chamados bicos de papagaio, pinçamentos de nervos que percorrem a região cervical e ocasionam dores que se irradiam desde o pescoço até os braços e desde as costas até o peito”, assinala o Dr. Norberto Furman, assessor de ciência e técnica da Escola de Quinesiologia e Fisiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de Buenos Aires (UBA).

Uma hérnia de disco – discos que encontram-se entre as vértebras da coluna - também podem afetar a região cervical e ocasionar dores no pescoço. “Neste caso –afirma Furman- os sintomas provocados pela compressão dos nervos que nascem na coluna são do tipo neurítico e chamam-se cervobraquialgias. Os sintomas são dores muito fortes e com sensação de queimação, que aumentam durante a noite, obrigando o paciente a dormir com uma das mãos atrás da nuca para relaxar os músculos da região”.

Outros fatores que relacionam-se intimamente com as dores no pescoço são as tensionais. “É muito comum ver as pessoas com os ombros demasiado elevados, e quando são advertidos pela má postura baixam os ombros –ilustra o Dr. Furman - Esta tensão sobre a musculatura cervical gera uma ampla gama de sintomas, um dos quais é a dor no pescoço”. Estes fatores tensionais costumam combinar-se e potencializar-se com outros fatores como o stress, o clima, uma alimentação excessivamente carnívora e a hereditariedade.

Por último, algumas dores cervicais são causadas por problemas circulatórios. “Quando se comprime alguma das artérias vertebrais, que correm por dentro das vértebras cervicais, altera-se a circulação que irriga o cérebro”, explica o especialista.

Os sintomas são muito variados, além da dor no pescoço, dor acima dos olhos, na testa e na nuca, incluem enjôos quando o paciente levanta a cabeça ou gira o pescoço bruscamente, cefaléia sobre a parte posterior e ambos os lados da cabeça, alterações na visão, zumbido nos ouvidos, latejamento, dormência das mãos durante a noite, opressão no peito e náuseas.

Tratamento e prevenção

Felizmente, existem inúmeras alternativas terapêuticas para curar as causas das dores no pescoço:

- Para os problemas de artrose, existem medicamentos que endurecem as cartilagens, tornando-os mais resistentes ao desgaste.

- Em alguns casos de hérnia de disco podem-se realizar manipulações (massagens) para recolocar os discos nas chamadas zonas mudas, onde não comprimam nervos ou elementos circulatórios.

É importante destacar que o tratamento quinesiológico precoce da hérnia de disco, pode evitar em muitos casos a cirurgia, a que se recorre para descomprimir a região quando há risco de paralisia.

- Os problemas circulatórios costumam ser tratados com medicamentos que permitem restabelecer a circulação sangüínea.

- Quanto aos problemas tensionais, o relaxamento e a atividade física moderada e controlada são as melhores alternativas.

Mas finalmente, como ocorre com outros problemas traumatológicos, grande parte da prevenção da dor no pescoço consiste em evitar as posturas inadequadas. Quais são elas? “Não existe uma postura dinâmica que seja inadequada, sempre e quando a pessoa realiza seus movimentos de forma relaxada – responde Dr. Furman.

O problema são as posturas estáticas que muitas pessoas adotam quando trabalham sentadas frente ao computador ou ao volante de um taxi”. Para todos aqueles que são obrigados a manter seu pescoço estático por um tempo prolongado, durante suas atividades diárias, este especialista recomenda o seguinte exercício de relaxamento: “Faça de conta que você tem um nariz muito grande e com ele desenhe duas vezes por dia o alfabeto, em letra de imprenssa grande em um quadro-negro imaginário situado em sua frente. Ou, se se cansar do alfabeto - brinca - experimente alguma passajem de Shakespeare”.

Copyright © 2000 eHealth Latin America



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: