Artigos de saúde

Herpes Genital

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste artigo:

- Introdução
- Contágio
- Sintomas
- Diagnóstico
- Tratamento
- Cuidados
- Prevenção
- Referências

Introdução

Herpes genital é uma doença comum causada por um vírus chamado vírus herpes simplex II, que causa bolhas dolorosas que se abrem nos órgãos genitais de ambos os sexos.

Contágio

Pode haver contágio através de contato íntimo dos genitais durante relação sexual, boca ou área anal e mãos que estejam infectadas.

Uma vez infectado, o vírus permanecerá no corpo pelo resto de sua vida. Normalmente, ficará em estado latente, o que significa que não causará sintomas. No entanto, poderá tornar-se ativo por causa de tensões emocionais, roupas apertadas, relações sexuais sem lubrificação suficiente, ou outras doenças e causar feridas novamente. A herpes é altamente contagiosa, principalmente quando apresenta ferimentos, mas também quando não apresentar sintomas e feridas.

Sintomas

Os sintomas podem incluir:

- Feridas dolorosas (bolhas) nos genitais (por exemplo, no pênis de um homem ou na área ao redor da vagina de uma mulher), coxas e nádegas
- Febre (normalmente só na primeira erupção das bolhas)
- Mal-estar geral, dor muscular
- Corrimento vaginal
- Dor ao urinar
- Dificuldade para urinar
- Dor durante a relação sexual
- Coceira
- Sensibilidade, crescimento de caroços com pus na virilha

Primeiramente, as feridas podem se apresentar como bolhas pequenas e claras, que rapidamente perdem sua cobertura fina causando pequenas feridas (3mm a 6mm), rosas ou vermelhas e rasas, sensíveis ao toque e normalmente aparecem em grupos de muitas bolhas ou apenas uma única bolha.

Os sintomas da herpes são normalmente mais fortes durante a primeira erupção, embora algumas pessoas infectadas por herpes não apresentem sintomas.

Diagnóstico

O diagnóstico é realizado através de exames laboratoriais das células ou do líquido de uma das feridas.

Tratamento

A herpes genital não tem cura, o vírus permanecerá no organismo e através da injestão de acyclovir ou famciclovir, que será prescrito por seu médico, os sintomas serão amenizados. Coso esteja grávida, informe ao médico responsável pelo tratamento para que possa decidir a medicação.

A herpes ativa durante a gravidez, poderá ser transmitida ao bebê durante o parto portanto, é prudente informar ao médico para que providências sejam tomadas para evitar o contágio.

As feridas normalmente começam a cicatrizar depois de aproximadamente cinco dias e geralmente desaparecem entre uma e três semanas, mas algumas vezes elas podem durar por mais de sis semanas.

Cerca da metade das pessoas infectadas por herpes têm reincidências, que podem ser mais moderadas e as feridas cicatrizam mais rápido.

Cuidados

Siga todo o tratamento prescrito pelo médico. Em complementação, quando tiver feridas:

- Use luvas descartáveis para aplicar a medicação para evitar a propagação da infecção a outras partes do corpo através das mãos.
- Ao usar o banheiro faça a higienização da frente para trás .
- Use roupas soltas, preferivelmente de algodão, para permitir a circulação do ar e evitar pressão sobre pele, o que pode causar mais bolhas.
- Tome aspirina, acetamina ou codeína para aliviar a dor.
- Evite compartilhar toalhas ou roupas.
- Evite usar duchas, sabonetes perfumados, sprays, desodorantes higiênicos femininos, ou outros produtos químicos na área genital.
- Evite sol e calor excessivos, o que pode causar mais bolhas.
- Evite contato sexual com outras pessoas.

Prevenção

- Pergunte ao seus parceiro se teve ou tem herpes porque pode ser propagada através de áreas não protegidas pelo preservativo, como por exemplo, a virilha, coxas e abdômen.
- Evite sexo oral-genital e oral-anal com alguém que tenha feridas secas na boca. Feridas secas são causadas por vírus que podem infectar os genitais.
-Sempre usar preservativo durante qualquer contato sexual, pois não é possível saber ou predizer quando o vírus pode ser transmitido à outros, inclusive sexo oral-genital e anal-genital.

Para evitar reincidências, deve-se:

- Tomar toda a medicação prescrita pelo médico.
- Seguir as instruções do médico para retornos e exames necessários.
-Contar ao(s) seu(s) parceiro(s) sexuais sobre a doença para que ele(s) possa(m) ser examinado(s) e tratado(s), se necessário.

Referências

- Bibliomed

- Phyllis G. Cooper, R.N., M.N.

-Clinical Reference Systems

Copyright © 2018 Bibliomed, Inc.                 04 de julho de 2018