Publicidade

Artigos de saúde

Conhecendo a Tuberculose: Primeira Parte

Dr. Joel Marinho de Mattos Filho*
joelmarinho@uol.com.br

Com toda certeza você já sabe muita coisa a respeito da tuberculose. Afinal, a doença é muito antiga, muito comentada e, em nosso tempo, existe alguma familiaridade com ela.

A tuberculose acompanha o homem desde a história conhecida. Existem relatos dos médicos clássicos da Grécia e de Roma sobre a doença e, em estudos mais recentes, pesquisadores encontraram lesões da tuberculose em múmias do antigo Egito. Somente na segunda metade do século XIX foi possível conhecer o micróbio causador da doença, o Mycobacterium tuberculosis, que foi isolado pelo pesquisador alemão Robert Koch em 1882. Por isso o bacilo da tuberculose ficou conhecido como bacilo de Koch (BK). Sessenta e dois anos depois, em 1944, foram descobertos os primeiros medicamentos capazes de eliminar o bacilo da tuberculose.

Apesar de acompanhar a Humanidade há muitos séculos, a tuberculose continua sendo motivo de preocupações até os dias de hoje. A maior parte dos nossos medos em relação à tuberculose se devem à falta de informação, que ainda temos, sobre as questões de saúde de modo geral.

Conhecendo a Doença:

A tuberculose é uma doença contagiosa, transmissível, que ataca o homem e compromete principalmente os pulmões, embora possa se localizar em qualquer parte do corpo. A transmissão se dá de pessoa a pessoa, através da tosse, pela qual o doente elimina bacilos no ar. Os bacilos são aspirados por outra pessoa e vão se instalar no pulmão, onde podem desenvolver o foco inicial da doença.

No primeiro contato com o bacilo da tuberculose não é comum atualmente, que ocorra a doença. Na grande maioria das vezes o organismo consegue se defender bem nesse primeiro contato, conhecido como primo-infecção.

A primo-infecção é mais comum na infância, quando a criança começa a ampliar o seu ambiente e a conviver com outras pessoas, além de seus familiares.

Os sintomas da primo-infecção são discretos e se parecem com os do resfriado comum: mal estar, febre baixa e tosse. O quadro dura perto de 2 semanas e a criança logo melhora.

Esta melhora significa que o organismo criou defesas contra o bacilo e dominou a infecção. Os bacilos ficam "adormecidos" no organismo da pessoa, agora, infectada.

Infecção, Doença e Sintomas

Infecção e doença são coisas diferentes. A pessoa infectada é aquela que se contaminou com o bacilo da tuberculose, mas não chegou a desenvolver a doença. Doente é a pessoa que se contaminou e apresenta os sintomas gerais da tuberculose: febre, canseira, emagrecimento, tosse e suadeira à noite.

Calcula-se que, em países pobres, 70% da população esteja infectada pelo bacilo de Koch, enquanto que nos países ricos este número seja menor do que 10 %.

Nos casos em que a tuberculose compromete outros órgãos que não sejam os pulmões (tuberculose extra-pulmonar), os sintomas vão depender da localização da doença. Na tuberculose intestinal podem aparecer, além dos sintomas gerais, queixas relacionadas com o aparelho digestivo. Na tuberculose urinária aparecem sintomas relacionados com o aparelho urinário e assim por diante.

Na tuberculose extra-pulmonar não existe risco de contágio. Como já dissemos, e insistimos, a tuberculose só se transmite pelo ar, através da tosse. O comprometimento de outros órgãos pelo bacilo da tuberculose é sempre secundário ao processo pulmonar.

A Doença Tuberculose acontece de Duas Maneiras:

- Pode ocorrer uma nova infecção com uma grande quantidade de bacilos e o organismo não consegue se defender, permitindo o aparecimento da doença.

- Em algumas situações em que as defesas do organismo estão baixas, como acontece no alcoolismo, no uso prolongado de alguns remédios como a cortisona ou nos portadores do vírus da AIDS, por exemplo, pode ocorrer a reativação de um foco que estava adormecido no pulmão ou em qualquer parte do organismo.

Como se pode perceber, o aparecimento de um caso de tuberculose não depende de uma só causa. Não é só a presença do bacilo que determina a progressão da doença. Na tuberculose o que ocorre é a soma de fatores físicos, sociais e emocionais facilitando o adoecimento. Portanto, falar em tuberculose é, inevitavelmente, falar em Política, é falar em qualidade de vida.

Sempre que o organismo não consegue se defender da agressão pelo bacilo, a doença pode se instalar com facilidade. A desnutrição, o excesso de trabalho físico e mental, as preocupações, são fatores que contribuem para a diminuição das defesas e facilitam o aparecimento da tuberculose e outras doenças.

A forma mais comum da tuberculose é a pulmonar, embora a doença possa aparecer em qualquer parte do corpo. A forma pulmonar tem merecido maiores cuidados por ser a única forma transmissível da doença. Por isso, vamos conversar mais sobre a tuberculose pulmonar.

É comum ouvir falar que sangue na expectoração (hemoptise) é sinal de tuberculose do pulmão. É importante saber que não é só a tuberculose que faz aparecer sangue no catarro e, que nem sempre a tuberculose "sangra". Ou seja, "nem tudo que reluz é ouro...". A hemoptise não significa maior comprometimento do pulmão pela doença. Sangue no catarro significa apenas que a doença, em fase inicial ou avançada, se localiza perto de uma veia, por isso sangra.

* médico pneumologista
Responsável pelo Serviço de Pneumologia Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde de Poços de Caldas MG - no período de 1978 a 2004.

Clique Aqui Para Ler a Segunda Parte

Copyright © 2008 Bibliomed, Inc. revisado em 03 de outubro de 2008.



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: