Publicidade

Notícias de saúde

Tomar antidepressivos durante a gravidez aumenta risco de hipertensão pulmonar em recém-nascidos

18 de janeiro de 2012 (Bibliomed). Uma investigação publicada no site da tradicional revista médica BMJ revela que as crianças são mais susceptíveis de nascer com hipertensão pulmonar persistente (pressão arterial elevada nos pulmões), se a mãe usou medicamentos antidepressivos durante a gravidez.

A hipertensão pulmonar persistente é uma doença rara, mas grave, estando associada à insuficiência cardíaca. A doença aumenta a pressão arterial nos pulmões causando falta de ar, tontura, desmaio e dificuldade para respirar.

Investigadores do Centro de Farmacoepidemiologia no Karolinska Institutet, em Estocolmo na Suécia, analisaram um total de 1,6 milhões de nascimentos entre 1996 e 2009 na Suécia, Finlândia, Dinamarca, Noruega e Islândia. As crianças foram examinadas após 33 semanas do nascimento.

No estudo um total de 1.618.255 nascimentos foram incluídos. No início da gravidez cerca de 17.000 das mães receberam uma receita de antidepressivos e cerca de 11.000 no final da gravidez.

Os pesquisadores descobriram que aquelas mulheres que usaram um antidepressivo foram as principalmente mães mais velhas e que fumavam. Durante a investigação os pesquisadores levaram em conta outros fatores, tais como ano de nascimento, peso ao nascer, idade gestacional ao nascimento, hipertensão pulmonar persistente, tabagismo materno, o IMC (no início da gravidez), e doenças maternas, incluindo lupus, artrite, pré-eclâmpsia, neoplasias (câncer) e doenças do intestino. Os antidepressivos usados incluíram
fluvoxamina, fluoxetina, paroxetina, sertralina, citalopram, escitalopram, e fluvoxamina.

A equipe descobriu que apenas 33 bebês (0,2%) de 11.014 mães que usaram antidepressivos no final da gravidez nasceram com hipertensão pulmonar persistente. Além disso apenas 32 bebês (menos de 0,2%) fora do 17.053 mães que usaram antidepressivos durante a gravidez precoce foram diagnosticados com a doença, enquanto um total de 114 bebês cujas mães tinham anteriormente sido diagnosticado com uma doença mental tinha hipertensão pulmonar persistente .

Embora o risco de desenvolver a doença seja baixo (cerca de 3 por 100 mulheres, que mais do que duplica se antidepressivos são tomadas no final da gravidez), os pesquisadores aconselham cautela no tratamento de mulheres grávidas com antidepressivos.

Em um relatório de associados, investigadores do Hospital Motherisk Programa para Crianças Doentes em Toronto e da Faculdade de Farmácia da Universidade de Oslo concordam que as mulheres grávidas a tomar antidepressivos no final da gravidez tem uma chance maior de dar à luz crianças com hipertensão pulmonar.

Fonte: BMJ

Copyright © 2012 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: