Publicidade

Notícias de saúde

A nova dieta das celebridades, a dieta de Duncan

09 de novembro de 2011 (Bibliomed).  A dieta de Duncan está ganhando popularidade rapidamente. Desde que surgiu, em 1975, o programa do médico francês Pierre Duncan conquistou diversos adeptos, como Gisele Bünchen, a cantora Jennifer Lopez e a atriz Penélope Cruz. Mais recentemente a dieta voltou a ser muito comentada na mídia devido ao casamento do Príncipe William e Kate Middleton. Kate e sua mãe seguiram a dieta de Duncan para perderem peso para o casamento e a princesa chegou a diminuir dois números do manequim.

A dieta de Duncan consiste em, basicamente, que a pessoa siga um plano alimentar semelhante ao que era seguido por nossos antepassados primitivos. O cardápio inclui 100 alimentos, sendo que 72 são de origem animal e 28 de origem vegetal. A idéia é que a pessoa possa comer a quantidade que quiser desses alimentos e ainda assim perder peso, já que a dieta propõe uma ingestão de quantidades pequenas de carboidratos e grandes quantidades de proteínas.

O programa da dieta é dividido em quatro fases. A primeira, de ataque, permite apenas a ingestão de proteínas magras e dura 10 dias. A segunda, chamada de cruzeiro, é a fase em que acontece a maior perda de peso e termina apenas quando o paciente atinge o peso ideal. A terceira fase, de consolidação, é quando a pessoa aprende a manter o peso conquistado e sua duração depende do peso perdido na segunda fase. São dez dias para cada quilo perdido. Já a quinta fase é a de estabilização, que permite que a pessoa coma de tudo, mas sem abandonar o bom senso. A promessa da dieta é que a pessoa consegue perder peso rapidamente, comendo o quanto quiser e sem sofrer com o efeito sanfona depois.

Porém, dietas drásticas como a de Duncan oferecem alguns riscos para o organismo. A escassez de carboidratos pode causar diversas complicações, desde mau hálito e perda de memória a tonturas. Como a principal fonte de energia do cérebro é o carboidrato, em sua ausência o cérebro deve usar proteínas e gorduras, fazendo com que o órgão funcione mais lentamente e com menos eficácia, causando cansaço, mal estar e desânimo. E apesar de a dieta de Duncan afirmar que não existe o risco do efeito sanfona, esse problema é constante em pessoas que perderam muito peso em pouco tempo. A perda do esforço do regime não é o único mal que vêm com o efeito. A flutuação intensa do peso é agressiva, e pode prejudicar o organismo.

Nutricionistas alertam que em dietas muito restritivas ou que não oferecem um balanço entre nutrientes devem ser evitadas, já que podem causar carências. O ideal é que o emagrecimento aconteça através de reeducação alimentar e o abandono de hábitos insalubres. O carboidrato, muitas vezes visto como o vilão, é necessário para o bem estar do corpo. Seu consumo em excesso pode complicar a dieta, mas ao invés de bani-lo, a pessoa deve buscar conhecer os tipos mais saudáveis dessa substância e controlar as quantidades ingeridas.

O primeiro passo de qualquer programa de sucesso de emagrecimento é a consulta com um profissional. Antes de seguir uma dieta, discuta o programa com um nutricionista e avalie a suas necessidades pessoais. Assim você não correrá riscos desnecessários e chegará mais facilmente ao seu objetivo.

Fonte: Boa Saúde

Copyright © 2011 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: