Publicidade

Notícias de saúde

Fumar pode aumentar riscos de câncer de mama

03 de março de 2011 (Bibliomed). Uma pesquisa analisou dados de 80.000 mulheres de 50 a 79 anos. Elas participaram de um estudo sobre saúde feminina na West Virginia University (EUA). As mulheres foram acompanhadas durante dez anos, e nesse período 3.520 delas foram diagnosticadas com câncer de mama invasivo.

Os cientistas pediram que as mulheres respondessem perguntas quanto aos seus hábitos de fumar, sendo classificadas como fumantes, ex-fumantes ou pessoas que fumaram durante a maior parte de suas vidas. Elas forneceram dados como: com qual idade começaram a fumar, quantos cigarros consumiam por dia e, se tinham parado de fumar, com que idade haviam abandonado o vício. As mulheres que não fumavam forneceram dados sobre exposição a fumo passivo.

A pesquisa mostrou que as fumantes tinham 16% mais chances de serem diagnosticadas com câncer de mama após a menopausa, e a tendência é que esses números aumentem de acordo com o período de tempo. Em mulheres que começara a fumar na juventude, antes da primeira gravidez, o risco determinado foi de 21%.

Parar de fumar reduz os riscos em 9%, mas somente após vários anos. Os pesquisadores afirmam que podem levar 20 anos para que uma mulher que deixou de fumar tenha a as mesmas chances de não desenvolver câncer de mama do que uma não-fumante.

Os resultados apresentados pelo estudo não são absolutos, e mais pesquisas devem ser desenvolvidas para que a ligação entre cigarros e câncer de mama seja comprovada. O Dr. Paolo Boffetta, da escola de medicina do hospital Mount Sinai em Nova York diz que ainda é cedo demais para afirmar a relação. “Eu estou um pouco apreensivo, mas a evidência está se tornando mais e mais convincente. Ela vai aparecer mais fortemente em cinco ou dez anos”.

Fonte: WebMD  01 de março de 2011

Copyright © 2011 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: