Publicidade

Notícias de saúde

Síndrome do olho seco aumenta no verão

03 de fevereiro de 2011 (Bibliomed). No verão o movimento nos consultórios de oftalmologistas aumenta. O principal motivo é a “síndrome do olho seco”, que é caracterizada por olhos vermelhos, sensação de corpo estranho, ardência, coceira e visão borrada. A síndrome tem como grande vilão o ar condicionado.

Geralmente, a Síndrome do olho seco atinge 10% dos trabalhadores ao longo do ano, mas o número de pessoas que apresentam o problema dobra no verão. Isso porque as pessoas abusam do ar condicionado, que torna o ar mais seco. Esse fator, associado ao ambiente fechado e à má conservação do equipamento, faz com que vírus, fungos e bactérias se proliferem no ar com maior facilidade.

A lágrima é um lubrificante natural dos olhos composto por três camadas: a externa oleosa, a intermediária aquosa, e a interna protéica. Quando o ar torna-se muito seco, ocorre a evaporação da camada aquosa, o que faz com que a lágrima perca suas propriedades lubrificantes.

Quem sofre com a síndrome do olho seco recorre a lágrimas artificiais para sanar os sintomas. Contudo, as pessoas tendem a abusar desse medicamento achando que ele é inofensivo à saúde. Existem casos em que a pessoa usa o colírio dez vezes ao dia, enquanto o indicado é apenas quatro.

Apesar de atingir ambos os sexos, mulheres têm duas vezes mais chances de desenvolver a síndrome dos olhos secos. Isso porque, a síndrome pode estar relacionada às oscilações no nível do estrogênio durante a fase reprodutiva e à falta dele na pós-menopausa.

Além do ar condicionado, outros fatores como o uso de alguns medicamentos e de lentes de contato, algumas doenças, e a idade (a partir de 65 anos os olhos diminuem em 60% a produção lacrimal), aumentam as chances de desenvolver o problema.

Para prevenir a síndrome dos olhos secos é preciso investir em uma alimentação saudável, evitando o consumo excessivo de carne bovina, gorduras e carboidratos, ingerir no mínimo dois litros de água por dia, e incluir no cardápio fontes de ácidos graxos, como os encontrados na semente de linhaça, óleo de peixes e amêndoas, alem de frutas, verduras e legumes ricos em vitaminas A e E. Quando o trabalho exige atenção visual, manter a tela 30 graus abaixo da linha dos olho, fazer intervalos de cinco minutos a cada hora de trabalho, além de piscar voluntariamente ajudam a diminuir os sintomas.

Fonte: Eutrópia Turazzi – LDC Comunicação. Press release. 02 de fevereiro de 2011.

Copyright © 2011 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: