Publicidade

Notícias de saúde

Atividades físicas vigorosas na infância ajudam a formar ossos mais fortes

10 de maio de 2010 (Bibliomed). Crianças pequenas que realizam atividades físicas rigorosas têm ossos mais fortes, principalmente no quadril, apresentando menor risco de fraturas, segundo estudo apresentados nesta semana no Congresso Mundial sobre Osteoporose, na Itália. De acordo com especialistas das Universidades de Southhampton e de Cambridge, no Reino Unido, essas evidências apontam para a importância de se estabelecer uma estratégia de saúde pública que incentive a prática de atividades físicas desde cedo, como forma de prevenir o surgimento da osteoporose em idades mais avançadas.

Utilizando tecnologias avançadas de imagem, os pesquisadores avaliaram a massa óssea, além a estrutura do colo do fêmur (quadril) e do osso da coxa, de mais de 200 crianças com seis anos de idade. Analisando os níveis de atividades físicas das crianças em sete dias consecutivos, os especialistas descobriram uma relação entre o tempo gasto em atividades vigorosas e a força no quadril, tanto em termos de formato quanto de densidade mineral volumétrica. E os resultados ocorriam independentemente de outros fatores, como dieta, estilo de vida e porte físico.

"Esses resultados apoiam o argumento de que o aumento das atividades físicas na infância pode melhorar o desenvolvimento ósseo na infantil, e isso é, portanto, uma potencialmente importante estratégia de saúde pública para a prevenção da osteoporose na vida adulta", destacaram os autores.

Indicações e dificuldades

A prática de atividades físicas deve ser um hábito criado desde a infância, segundo especialistas. Entretanto, há muitas dificuldades em se adquirir esse hábito, pois muitas pessoas começam já adultas - isso porque, muitas vezes, pais e professores entendem ser errado crianças e pré-adolescentes iniciarem atividades físicas regulares, sobretudo em relação às oferecidas por academias, no processo de fortalecimento da musculatura e resistência.

No entanto, hoje, profissionais da área discordam desse conceito e confirmam que as atividades devem ser muito mais que aquelas sugeridas pelas aulas de educação física nas escolas, que são jogos e atividades em grupo com o único objetivo de socializar e criar o espírito competitivo e valores éticos - também muito importantes para o processo de crescimento humano.

"O mito que se criou sobre crianças não poderem praticar atividades físicas nas academias já está sendo derrubado. Na realidade, treinar desde jovem, se bem orientado em relação aos tipos de exercícios que se realizará na academia, só poderá trazer benefícios, pois o exercício com pesos estimula a liberação de hormônios importantíssimos para o desenvolvimento, como o hormônio do crescimento e os hormônios sexuais", afirma Daniel Kazu, especialista em fisiologia pela Escola Paulista de Medicina.

Os especialistas destacam, porém, que as atividades físicas em academias devem ser iniciadas apenas em crianças maiores e sob coordenação de um profissional capacitado. Para os pequenos, o ideal é que os pais criem oportunidades para as crianças brincarem fora de casa regularmente, incentivando atividades que envolvam atividades físicas, como jogar bola, andar de bicicleta e correr.

Fonte: Osteoporosis International. Suplemento 1. Maio de 2010.

Copyright © 2010 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: