Publicidade

Notícias de saúde

Divórcio é ruim para a saúde mental, indica pesquisa

26 de dezembro de 2008 (Bibliomed). O fim de um casamento pode representar um maior risco de problemas psiquiátricos, segundo pesquisa do Health Research Board, na Irlanda. De acordo com os especialistas, os divorciados contam por 645 a cada 100 mil consultas em hospitais e unidades psiquiátricas, números significativamente maiores do que os de outros grupos; além de terem maior taxa de primeira internação – 183 por 100 mil.

E a separação tem um grande impacto também na saúde psicológica dos filhos: os resultados mostram que crianças de apenas seis anos estão sendo admitidas nas unidades de saúde com problemas que vão da depressão e problemas alimentares à esquizofrenia e neuroses.

Avaliando dados sobre a entrada de pacientes em hospitais e unidades psiquiátricas do país britânico, os pesquisadores registraram 20769 consultas no ano 2007, o que representa um crescente número de pessoas sofrendo de distúrbios psicológicos – cerca de 12% da população – e recorrendo mais aos serviços irlandeses de apoio e de saúde.

A depressão é a queixa mais comum, afetando uma a cada quarto pessoas que recorrem aos serviços de saúde psiquiátrica, enquanto a esquizofrenia ocorre em um a cada cinco casos atendidos, e problemas com bebidas afetam um em oito pacientes.

Os mais atendidos com problemas psiquiátricos, segundo os pesquisadores, seriam a faixa etária entre 45 e 54 anos; enquanto os jovens de 20 a 24 anos apresentam o maior número de primeiras consultas. E os trabalhadores não qualificados também apresentavam maior propensão a sofrer desses distúrbios (cerca de 1% desse grupo).

“Há a necessidade de desenvolver e oferecer à comunidade programas inovadores que promovem bem-estar e oferecem informações sobre problemas de saúde mental”, ressaltaram os autores. “Esses programas deveriam também oferecer às pessoas estratégias para enfrentar e para aumentar a resiliência de lidar com as necessidades mutantes e demandantes da sociedade em que vivemos”, concluíram.

Fonte: Health Research Board. News. 18 de dezembro de 2008.

Copyright © 2008 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: