Publicidade

Notícias de saúde

Marcador Permite Diagnóstico Precoce do Câncer de Esôfago

Por Nancy Deutsch

NOVA YORK (Reuters Health) - As taxas de câncer de esôfago têm aumentado nos Estados Unidos e na Europa. Agora, pesquisadores britânicos descobriram um marcador genético que pode ser útil para identificar pessoas sob risco de desenvolver a doença.

O estudo está publicado na edição de 16 de agosto de Journal of the National Cancer Institute.

"O que é animador é que existe a promessa de que um dia poderemos identificar pessoas antes do tempo e reduzir substancialmente seu risco (de desenvolver o câncer de esôfago)", afirmou Joel L. Weissfeld, da Universidade de Pittsburg, na Pensilvânia, em um editorial que acompanha o estudo.

Durante a pesquisa, Kamal Bani-Hani e sua equipe, da Enfermaria Geral Leeds, no Reino Unido, analisaram 307 pacientes com síndrome de Barrett (BE), uma doença de alterações pré-cancerosas do revestimento do esôfago desde a garganta até o estômago. Para comparação, um grupo de "controle" saudável foi incluído no estudo.

Entre 1984 e 1995, 12 casos de câncer se desenvolveram entre os pacientes com BE. Biópsias do tumor revelaram que o marcador genético conhecido como proteína "cyclin D1" estava presente em 11 de 12 amostras. Oito dos 12 pacientes (67 por cento) apresentaram o marcador nos estágios iniciais do estudo, antes da presença do câncer.

"Em algumas pessoas, a expressão em excesso da proteína foi observada mais de dez anos antes do diagnóstico do câncer", afirmou Christopher P. Wild, co-autor do estudo. Ele destacou que esta foi uma das descobertas mais surpreendentes.

Cerca de 29 por cento das pessoas saudáveis do grupo de 'controle' também apresentaram a proteína no início do estudo, o que sugere que este marcador não é sensível o suficiente ainda para ser usado sozinho como um recurso de detecção.

A incidência do câncer de esôfago tende 40 vezes mais a se desenvolver em pessoas com BE. "Na maioria das vezes, este câncer é detectado tarde, de modo que menos de uma pessoa em 20 sobrevive mais de cinco anos após o diagnóstico", disse Wild, explicando a importância de se desenvolver um teste de detecção precoce do câncer.

Weissfeld acrescentou que, caso um bom grupo de marcadores para o câncer for identificado, valerá a pena realizar testes para BE e o marcador e evitar que a doença progrida.

De acordo com Weissfeld, como ainda não existem métodos totalmente eficazes para prevenir o câncer nestas pessoas identificadas sob risco, o uso de drogas para reduzir o refluxo ácido nestas pessoas pode ser útil. Cientistas também têm sugerido que o uso de vitamina A pode reduzir a incidência de câncer no esôfago.

"Como o desenvolvimento do câncer envolve um grande número de alterações genéticas, é improvável que qualquer mudança, como a expressão em excesso da cyclin D1, irá identificar todos os pacientes com câncer", ponderou Wild. "Desse modo, acreditamos que nossa descoberta é um grande avanço, mas é provável que uma combinação de marcadores...que irá aumentar a sensibilidade do avanço".

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited. Reuters Limited shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: