Publicidade

Notícias de saúde

Tratamento do câncer de próstata aumenta risco de osteoporose masculina

26 de Janeiro de 2004 (Bibliomed). Um tratamento utilizado com freqüência para o câncer da próstata pode levar ao enfraquecimento ósseo dos pacientes, colocando-os sob risco de osteoporose. Segundo um novo estudo publicado na semana passada na revista Câncer, a terapia de supressão de hormônios andrógenos (TSA), comumente utilizada no tratamento do câncer de próstata, pode levar a grave perda óssea nos homens. Os hormônios andrógenos estão relacionados tanto ao crescimento dos tumores da próstata como à manutenção da força dos ossos.

A TSA é usada em pacientes portadores de câncer de próstata para reduzir o tamanho dos tumores e aumentar as chances de sobrevida. O tratamento funciona através de inibição dos hormônios andrógenos, os quais estimulam o crescimento das células cancerosas no interior da próstata. Os pesquisadores agora divulgaram que esta inibição hormonal no homem pode acabar resultando em uma forma de "Menopausa masculina", que enfraquece os ossos, aumentando os riscos de osteoporose e de fraturas.

Embora a osteoporose seja mais freqüentemente encontrada em mulheres após a menopausa, os homens também apresentam uma diminuição da densidade e da força óssea à medida que envelhecem. Tratamentos que aumentam a perda natural da massa óssea, tais como a TSA, acabam por apressar o enfraquecimento natural dos ossos. O estudo demonstrou que homens que receberam a TSA como parte do tratamento para o câncer de próstata apresentaram um aumento na velocidade de perda óssea que variou de 2 a 8% na coluna e de 1,8 a 6,5% no quadril, apenas nos doze primeiros meses do tratamento. O estudo também mostrou um índice aumentado de fraturas em homens tratados com a TSA.

Fonte: Cancer, March 1, 2004.

Copyright © 2004 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: