Publicidade

Notícias de saúde

Profissões de risco recebem auxílio psicológico

23 de Abril de 2002 (Bibliomed). Algumas profissões lidam com o perigo a todo momento. Os profissionais vivem uma jornada estressante de trabalho e, normalmente, não contam com o apoio psicológico necessário para suportar as tensões diárias. É o caso dos policiais, agentes penitenciários, trabalhadores da Febem.

Conciliando aprendizado e a prática profissional, pesquisadores e estudantes da USP, em São Paulo, decidiram levar apoio psicológico aos policiais, aos funcionários da Febem e a outros profissionais de instituições que vivem situações de risco.

Intitulado Projeto Integrado de Atenção Psicológica em Instituições, o trabalho foi dividido em seis subprojetos que têm como proposta estender o conhecimento científico gerado na universidade até a população, bem como oferecer aos alunos de graduação experiência com a prática profissional. A iniciativa partiu do Laboratório de Estudos e Prática em Psicologia Fenomenológica e Existencial (LEFE), do Instituto de Psicologia da USP, e tem como coordenadora a psicóloga Henriette Morato.

A psicóloga explica que os trabalhos são supervisionados por pós-graduandos e deverão resultar em pesquisas voltadas para a prática psicológica institucional. A coordenadora do projeto ressalta que há muitos profissionais que trabalham em um meio que envolve situações de risco e precisam de um acolhimento amplo, como por exemplo, intervenções feitas por meio de sessões psicoterápicas. Por outro lado, há estudantes interessados em aplicar o conhecimento adquirido e que podem contar com supervisão de profissionais experientes.

Os policiais precisam estar preparados para vivenciar situações de tensão, como troca de tiros com bandidos, perseguições em alta velocidade ou mesmo situações envolvendo perda de companheiros de trabalho ou a morte de bandidos. Também os trabalhadores da Febem temem a ocorrência de rebeliões, precisam impedir brigas e ainda saber auxiliar os menores recolhidos das ruas.

Na opinião da coordenadora do Projeto Integrado de Atenção Psicológica em Instituições, esses profissionais necessitam ser ouvidos e compreendidos em seu sofrimento para então exercer seu trabalho com qualidade e condições psicológicas dignas.

A USP pretende com esse serviço realizar pesquisas com intervenção em organizações, principalmente no serviço público, promovendo simultaneamente atividades de graduação, pós-graduação, pesquisa e extensão universitária. Mais informações podem ser obtidas no site da universidade (www.usp.br).

Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: