Publicidade

Notícias de saúde

Medicamento pode aliviar os sintomas de abstinência alcoólica

01 de abril de 2002 (Bibliomed). Um dos principais problemas enfrentados por alcoólatras que tentam parar de beber são os sintomas da abstinência. O organismo está tão acostumado ao consumo exagerado de álcool que, quando o indivíduo não bebe, sofre sintomas graves como tremores, sudorese, náuseas, agitação e delírios. Estes sintomas, na maioria das vezes, desanimam os doentes de continuar o programa de abstinência e os empurra de novo para o vício.

O alcoolismo é uma doença grave, que atinge pessoas de todas as idades e classes sociais no mundo todo, trazendo conseqüências desastrosas em termos de saúde física, mental e social. O alcoólatra freqüentemente é rejeitado pela família e sociedade, devido ao desgaste que provoca em seu círculo de convivência. Além disto, muitas pessoas ainda não vêem o alcoolismo como doença, e sim como hábito, o que dificulta ainda mais as abordagens e a aceitação do alcoólatra como membro da sociedade e da família que tem um problema de saúde e não um problema de caráter. O custo social do alcoolismo é muito alto, já que pessoas jovens, em plena idade produtiva, se tornam praticamente inúteis e geralmente têm morte precoce devido às conseqüências físicas da doença. Entre as complicações físicas mais comuns do alcoolismo estão cirrose hepática, pancreatite, demência, doença cardíaca, dentre outras, e são potencialmente fatais.

Um pequeno estudo feito na Itália mostrou que um medicamento é capaz de reduzir ou mesmo eliminar os sintomas da abstinência. Este medicamento, chamado Baclofeno, é utilizado em outras doenças como esclerose múltipla e lesões da medula espinhal, e age no sistema nervoso central controlando os espasmos e rigidez muscular. Além de seu uso no alcoolismo, o medicamento também mostra evidências de funcionar bem em outros casos de abstinência, como em usuários de opiáceos como a heroína.

O estudo ainda não é definitivo, mas abre portas para outros estudos maiores que possam avaliar com mais segurança a eficácia do medicamento. Se comprovada a eficácia, este medicamento pode ser uma arma poderosa para auxílio daqueles que querem parar de beber.

Os pesquisadores administraram o medicamento em cinco pacientes alcoólatras que estavam tentando parar de beber ainda no hospital, mas estavam sofrendo sintomas graves da abstinência. Quatro deles mostraram resolução dos sintomas em 3 horas, e o quinto melhorou em 3 dias. Todos continuaram a utilizar a droga por 30 dias, mesmo após a alta hospitalar. Nenhum dos pacientes tratados mostrou sintomas de abstinência durante o acompanhamento ambulatorial.

O medicamento não visa resolver o problema do alcoolismo, mas apenas auxiliar pessoas que estejam realmente querendo parar de beber. O alcoolismo não é uma doença puramente física, assim como não é puramente mental. É a conjunção entre doença física, mental e social que a torna tão problemática e difícil de tratar. O uso deste medicamento apenas visa aliviar as dificuldades físicas do abandono do vício, mas apoio psíquico e social são indispensáveis, além da conscientização e motivação do próprio doente, que deve estar profundamente envolvido em seu propósito de abandonar a bebida. Embora não sendo uma panacéia milagrosa, o baclofeno pode ser um instrumento valioso se utilizado conscientemente. Novos estudos serão realizados, em uma amostra maior de pacientes, para confirmar sua eficácia e segurança nestes casos.

Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: