Publicidade

Notícias de saúde

A Anvisa definiu regras para a veiculação de propagandas do ácido acetilsalicílico, que não deve ser usado diante de suspeita de dengue

Belo Horizonte, 25 de Março de 2002 (Bibliomed). A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ligada ao Ministério da Saúde, advertiu a população publicamente, pela primeira vez, sobre os problemas do uso de medicamentos à base de ácido acetilsalicílico mediante a suspeita de dengue.

De acordo com a Resolução 83\2002, publicada esta semana no Diário Oficial da União, as campanhas publicitárias desses produtos deverão mencionar claramente a contra-indicação do uso da substância diante da suspeita dos sintomas da dengue.

As propagandas desses medicamentos, muitas vezes, destacam a indicação para o tratamento da dor no corpo, febre, gripe, resfriado e outros sinais e sintomas que podem ser confundidos com os da dengue.

Uma das funções do ácido acetilsalicílico é reduzir a agregação de plaquetas no sangue, dificultando a coagulação e ajudando o sangue a fluir melhor. E é justamente nessa propriedade que mora o perigo de favorecer a ocorrência de hemorragias. A evolução mais grave e letal da doença, que recebe o nome de febre hemorrágica da dengue (FHD), está em alguns casos relacionada à automedicação de algum dos produtos contendo o sal. A infecção por tipos diferentes de vírus da dengue também é responsável pela FHD.

A Resolução 83/2002 da Anvisa exige que o alerta nas propagandas deva ser exibido, na televisão, em fundo preto com letras brancas para facilitar a visibilidade. No rádio, a advertência deverá ser veiculada imediatamente após o término da propaganda, com locução diferenciada. A ação é preventiva e tem como objetivo evitar que, por falta de informação adequada, pacientes com dengue utilizem a substância e tenham o problema agravado.

Também esta semana, a Anvisa alertou a população e profissionais de saúde quanto a proibição da fabricação e da comercialização de três medicamentos oftalmológicos do Laboratório Allergan Produtos Farmacêuticos Ltda. Os medicamentos de nome comercial Doxium e Antomiopic eram utilizados no tratamento da retinopatia diabética. O Clarvisol costumava ser ministrado para evitar a progressão da catarata. O problema na composição desses produtos é a substância tiomersal (um derivado do mercúrio), proibida desde o ano passado pela Anvisa.

Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: