Publicidade

Notícias de saúde

O diabetes pode causar impotência

Belo Horizonte, 06 de Fevereiro de 2002 (Bibliomed). Se você procurava por mais um motivo para seguir as recomendações para prevenção do diabetes, encontrou: cerca de um terço dos homens com diabetes tipo 2, o que acomete adultos e indivíduos de meia idade, sofre de impotência ou disfunção erétil.

O diabetes tipo 2 é uma doença em que o nível de açúcar no sangue sobe além do limite. Ele é causado por produção insuficiente de insulina, o hormônio que controla a entrada do açúcar nas células, ou por resistência do corpo a este hormônio. Geralmente afeta pessoas acima dos 45 anos, e é mais freqüente em indivíduos que estão acima do peso, bebem e têm outros hábitos pouco saudáveis. Porém, o fato de não se encaixar nestes grupos não exclui a possibilidade de se ter diabetes: apenas consultas e exames podem excluir a doença.

O açúcar demais no sangue lesa os vasos sangüíneos, o que traz diversos problemas como doença das coronárias, doença renal, doença da retina, entre outros. O pênis do homem é um órgão com grande quantidade de vasos sangüíneos, que se agrupam em uma estrutura chamada corpo cavernoso. É o enchimento desta estrutura com sangue que promove a ereção. Como os vasos sangüíneos são lesados no diabetes não controlado, era de se esperar que a função erétil fosse prejudicada pela doença.

Um estudo publicado na edição de fevereiro da revista americana Diabetes Care mostrou que, em geral, 34% dos pacientes diabéticos relataram problemas freqüentes de ereção, 24% relataram problemas ocasionais e 42% declararam não ter problemas de ereção.

A impotência traz um grande impacto negativo sobre a qualidade de vida dos indivíduos. A insatisfação sexual pode levar a sintomas depressivos, e é responsável por altos níveis de frustração e desencorajamento, além de levar a uma má aceitação do diabetes, que é doença crônica que precisa de controle adequado.

O diabetes é uma doença incurável, mas plenamente controlável. Consultas periódicas com exames de rotina são responsáveis pela detecção precoce da doença: quanto mais cedo descoberta e tratada, menores as chances de desenvolvimento de complicações.

Se o diabetes for diagnosticado, o controle adequado, com atenção às orientações médicas a respeito, pode retardar ou até impedir o surgimento das complicações da doença. O controle do diabetes usualmente inclui dieta, exercícios físicos, perda de peso, consultas periódicas e uso de medicamentos.

Com a melhora da expectativa de vida, as pessoas estão cada vez mais atingindo idades avançadas. Garantir um envelhecimento saudável deve fazer parte da preocupação de qualquer pessoa, independente da idade. Assim, mudanças de hábitos de vida nocivos e a procura por cuidados médicos pode garantir a chance de se ter um envelhecimento saudável e produtivo, incluindo a função sexual.

Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: