Publicidade

Notícias de saúde

A falta de vitamina C pode estar ligada a parto prematuro

Belo Horizonte, 30 de Janeiro de 2002 (Bibliomed). Mais um motivo para manter uma alimentação saudável durante a gravidez: a falta de vitamina C, antes e durante a gestação, pode aumentar o risco de parto prematuro.

A vitamina C, embora seja conhecida como capaz de prevenir gripes e resfriados, não se mostrou eficiente para este uso em estudos grandes e bem controlados. Porém, suas ações podem ser até mais importantes do que esta.

Como é uma vitamina antioxidante (capaz de prevenir lesão a estruturas do organismo provocadas por radicais livres), ela tem se mostrado, em estudos sérios e bem conduzidos, essencial para o funcionamento do organismo em termos de cicatrização, produção de colágeno (substância presente em todo o organismo e responsável pela resistência mecânica dos órgãos), dentre outras funções importantes.

A vitamina C é encontrada na maioria das frutas, verduras e legumes, sendo mais concentrada nos frutos cítricos (laranja, acerola, kiwi, limão) e mais conservada se os alimentos são consumidos crus.

A ingestão exagerada da vitamina não garante estoques no organismo, já que o excesso consumido por dia é eliminado na urina. Assim, não adianta ingerir grandes quantidades em um dia e nada nos outros: ela deve ser consumida diariamente, em quantidades adequadas.

Um estudo recente mostrou que mães que ingeriam pouca vitamina C eram mais susceptíveis a ter filhos prematuros. O parto prematuro, na maioria das vezes, é induzido pela ruptura da membrana amniótica, a membrana que forma o “colchão líquido” em torno do feto.

Quando esta membrana se rompe, o líquido é perdido e pode haver indução do parto, com início das contrações uterinas. A falta de vitamina C deixa esta membrana mais frágil e mais susceptível a rupturas, tornando o parto prematuro mais provável.

Outros fatores que poderiam influenciar o estudo, como tabagismo, idade e raça, foram analisados e excluídos. Porém, existem outros fatores que não foram controlados e o estudo não garante com certeza se a falta de vitamina C foi a única responsável pela ocorrência de partos prematuros.

Assim, outros fatores podem estar associados ao parto prematuro, além da vitamina C, e que poderiam inclusive invalidar a relação entre a vitamina e o parto prematuro. Outros estudos clínicos controlados devem ser feitos antes que a relação vitamina C - parto prematuro seja confirmada.

Segundo o estudo, a ingestão deficiente de vitamina C antes da gestação também interferiu na fragilidade da membrana amniótica. Assim, não parece suficiente começar a tomar suplementos vitamínicos após a mulher saber que está grávida. O que parece importante é a manutenção de hábitos saudáveis de vida, com ingestão equilibrada de nutrientes, antes e durante a gestação.

A quantidade recomendada de ingestão de vitamina C por dia é de 70-100mg para adultos. Esta quantidade é facilmente suprida com uma alimentação onde frutas, verduras e legumes estão presentes em quantidade suficiente.

Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: