Publicidade

Notícias de saúde

Laboratório de referência em oncologia pediátrica será inaugurado em São Paulo

São Paulo, 03 de maio de 2001 (eHealthLA). O mais moderno laboratório de oncologia pediátrica brasileiro será inaugurado no dia 4 de maio, no Instituto de Oncologia Pediátrica, do Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (GRAACC), em São Paulo.

Com equipamento e tecnologia de ponta, o novo espaço será um centro de diagnósticos de referência no país. Ele contará com laboratórios de citogenética, de biologia molecular, de imunofenotipagem e de anatomia patológica.

A iniciativa do GRAACC – sociedade civil filantrópica que conta com o auxílio técnico da Universidade Federal de São Paulo – foi apoiada por outras três entidades, a Fundação Banco do Brasil, a Fundação Orsa e o Ministério da Saúde.

A Fundação Banco do Brasil doou 900 mil reais para a aquisição de equipamentos, como parte de um programa chamado Criança e Vida.

Dezenas de hospitais nacionais que já atuam no atendimento de jovens com câncer também receberão incentivo financeiro da fundação para a construção de outros laboratórios de referência.

O próprio GRAACC investiu cerca de 200 mil reais na reforma das instalações para os novos laboratórios e na importação da aparelhagem. Além disso, encarregou-se de fornecer os profissionais especializados.

Criado há três anos, o GRAACC tem capacidade para 300 novos casos por ano. "Cerca de 1500 crianças estão protocoladas no Instituto para quimioterapia. Atualmente 250 crianças estão em tratamento", diz Maria Lúcia de Camargo Andrade, administradora da entidade.

Estimativas da incidência de câncer em crianças no Brasil

De acordo com Sérgio Petrilli, professor de pediatria da Universidade Federal de São Paulo e diretor do Instituto de Oncologia Pediátrica do GRAACC, os tipos mais comuns de câncer em crianças são as leucemias, os tumores do sistema nervoso e dos gânglios, no sistema linfático.

O professor acredita que anualmente apareçam 16 novos casos de câncer em cada cem mil indivíduos de 0 a 21 anos, embora não existam registros nacionais da incidência desses tumores em crianças. Segundo ele, entre 0 a 12 anos surgem sete mil novos casos no mesmo período.

"Estima-se que apenas metade desse total chegue a centros especializados no distúrbio", lamenta o médico. "Por isso a criação desse centro é tão importante", continua. "Quando diagnosticado precocemente, as chances de cura da doença são de 70 por cento", assegura o Dr. Sérgio.

Serviço de primeiro mundo

"Os diagnósticos mais precisos aumentam as chances de tratamentos bem sucedidos, já que os médicos têm condições de indicar tratamentos mais adequados e mais precocemente aos pacientes", explica o especialista.

Na opinião dele, hoje a Medicina pode dizer através de análises de laboratório sofisticados não apenas de que tipo é o tumor, mas o que levou as células a se multiplicarem de forma desordenada e acelerada, ocasionando o câncer.

O pediatra afirma ainda que os novos laboratórios do Instituto serão capazes de realizar exames com a mesma qualidade encontrada nos mais avançados centros do mundo. "Nossos profissionais são de alto nível e a idéia é que o centro chegue ao limite do conhecimento mundial", anuncia.

"Nosso objetivo é atender às necessidades de diagnósticos na área de oncologia das entidades que prestam serviços gratuitos à população", conta. Segundo o Dr. Sérgio, é possível que no futuro o Instituto possa estender parte dos serviços para convênios. O Instituto Oncológico Pediátrico fica na Rua Botucatu, 743, em São Paulo.

Copyright © 2001 eHealth Latin America

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: