Publicidade

Notícias de saúde

Comer peixe pode reduzir o risco de muitas doenças

São Paulo, 9 de abril de 2001 (eHealthLA). Exaltado por nutricionistas como uma das proteínas animais mais ricas e benéficas para o organismo, o peixe vira foco gastronômico na Páscoa.

A indicação do pescado como um dos alimentos fundamentais da dieta da longevidade se deve à presença de ácidos ômega 3 nas espécies gordas de água marinha, entre elas, o arenque, o salmão, a cavalinha e o atum.

O médico americano Timothy Smith, autor do livro "A revolução antienvelhecimento" da (Editora Campus), afirma que os benefícios dos ácidos ômega 3 não se restringem à proteção contra doenças cardíacas.

As pesquisas mostram que os ácidos não só previnem coágulos sangüíneos como reduzem os níveis de triglicerídeos, gorduras que provocam danos ao coração. E, mais ainda, ajudam a aliviar a artrite, fortalecem o sistema imunológico e estimulam a produção de defesas antiinflamatórias e analgésicas.

Além disso, os ácidos ômega 3, 6 e 9 encontrados no salmão colaboram ainda para o equilíbrio do colesterol, além de serem ricos em vitaminas do complexo B e vitamina D.

Nestor Schor, nefrologista da Universidade Federal de São Paulo, é um defensor do pescado como prato principal. Em sua opinião, a população deveria consumir 100 gramas do mesmo cinco dias por semana. "O peixe tem pouca caloria e colesterol, sua proteína é nobre, não prejudica a digestão e, além de tudo, contém ômega 3", incentiva o médico.

Mas o especialista alerta: é preciso ficar de olho na procedência do produto. Há rios e baías onde não se deve praticar a pesca, como os que ficam perto de fábricas e recebem resíduos industriais. É recomendável, por exemplo, evitar as espécies de peixes de águas costeiras e provavelmente poluídas como a anchova, a carpa, o bagre e a truta.

Outras fontes

É importante lembrar que quem não gosta de peixes pode consumir ácidos ômega 3 em outras fontes como óleos de linhaça, semente de abóbora, soja e nozes. Já os frutos do mar como camarões, lulas e polvos são alimentos ricos em vários minerais como selênio, magnésio, zinco, iodo, cromo, cobre e potássio, mas têm alto teor de colesterol.

Copyright © 2001 eHealth Latin America

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: