Publicidade

Notícias de saúde

BRASIL: Mulheres São as Principais Vítimas das Doenças Ocupacionais

São Paulo, 14 de março de 2001(eHealthLA). As mulheres são as vítimas preferenciais de Dort (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho), antes conhecidos como LER (Lesões por Esforço Repetitivo). Mundialmente, a cada grupo de 100 pessoas com LER/Dort, de 80 a 85 são mulheres.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, de cada 100 trabalhadores do Estado de São Paulo, um apresenta algum sintoma relacionado a esse mal. E, entre eles, 50,8% são mulheres.

"É um problema social. As profissões de risco, como trabalho em linha de montagem, digitação e telemarketing, são assumidas por mulheres", diz Maria Maeno, médica do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador de São Paulo. Entre os bancários, categoria profissional mais castigada pela doença (64,9%), as mulheres correspondem a 51,6% do total de casos.

Causas

As LER/Dort podem ser provocadas por várias causas. Na realidade esta é a classificação de um conjunto de males provocados pela atividade que a pessoa executa durante o trabalho, mas o distúrbio também pode estar relacionado à má postura ou ao excesso de movimentos.

Para Mogar Dreon Gomes, ortopedista da Santa Casa de São Paulo, esses problemas afetam o chamado sistema muscular-esquelético, que engloba os membros superiores, os inferiores, a coluna cervical e a lombar. “Entre as doenças classificadas como LER/Dort estão a tendinite, que é a inflamação dos tendões, a cervicalgia e a epicondilite – respectivamente, dor no pescoço e no cotovelo”, diz o médico.

Tratamento

O melhor tratamento é impor limites no trabalho. Adequar o local, como ajustar cadeira na posição certa, e interromper o trabalho a intervalos regulares durante o dia. Se a dor já ocorre de maneira muito intensa, a solução é procurar um médico, que irá utilizar aparelhos de calor, como o ultra-som, para diminuir as dores. Exercícios físicos, como o alongamento, e de fisioterapia ajudam a manter a postura e o equilíbrio.

Segundo Luiz Bernardo Leonelli, do Instituto Nacional de Prevenção das LERs, o trabalhador pode perder a força muscular e a coordenação motora, o que determina seu afastamento do trabalho. Nesses casos continuará recebendo o salário. Os primeiros 15 dias serão pagos pela empresa e os restantes pelo INSS. Ele pode ainda pedir indenização pelos danos físicos causados.

Em qualquer situação precisa ficar comprovado que se trata de uma doença ocupacional. "É importante que o trabalhador se sinta estimulado e valorizado dentro da empresa, vivenciando sua experiência profissional com mais prazer e em um ambiente onde os colegas se respeitem".

Copyright © 2001 eHealth Latin America

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: