Publicidade

Notícias de saúde

BRASIL: Projeto Hospital Amigo da Criança Aumenta os Números do Aleitamento Materno no Brasil

São Paulo, 18 de Janeiro (eHealthLA). Entre as iniciativas para garantir o aleitamento materno no Brasil, tem se destacado o crescimento do número de hospitais credenciados no projeto Hospital Amigo da Criança. Implantado no País desde 1992, o Amigo da Criança é promovido em diversos países pelo UNICEF e pela Organização Mundial da Saúde, e no Brasil conta com o apoio do Ministério da Saúde.

Em outubro do ano 2000, 166 hospitais brasileiros tinham o título de Hospital Amigo da Criança. Embora represente um bom índice de crescimento, o número de instituições credenciadas ainda é muito baixo. Segundo a obstetra Ana Tereza Cavalcanti de Miranda, vice-diretora do Hospital Universitário Pedro Ernesto, no Rio de Janeiro, que participa do projeto, para se tornar um Hospital Amigo da Criança, a equipe da maternidade precisa implementar os 10 passos para o sucesso do aleitamento materno. “Entre outras ações estão a obrigatoriedade do alojamento conjunto, ou seja, mãe e filho ficam juntos desde o momento do parto e o limite de partos cesáreos”, diz a médica.

Conforme pesquisa do Ministério da Saúde (1999), as mães brasileiras amamentam seus filhos exclusivamente com leite do peito por apenas 33,7 dias, em média. A região Sul tem o melhor índice (53,1 dias), seguido do Nordeste (38,2 dias). As capitais da região Sudeste têm o pior índice, 17,2 dias.

A recomendação é que os bebês sejam amamentados exclusivamente no peito durante seus primeiros 180 dias de vida, ou seja, nos primeiros seis meses. Nesse período, a criança não precisa de qualquer outro alimento, nem mesmo de água, a não ser em casos excepcionais, por recomendação médica.

Benefícios

Segundo relatório divulgado pela UNICEF, o aleitamento materno é um bom exemplo de política pública que envolve família, comunidade, governos e sociedade civil, com baixo custo e excelente impacto sobre o desenvolvimento infantil. Estudos científicos comprovam que a criança que mama no peito está mais imune a doenças como a diarréia e infecções respiratórias e é mais tranqüila. Além disso, o ato de amamentar fortalece o vínculo entre mãe e bebê e diminui os riscos de câncer de mama e de ovário na mãe.

Por outro lado, a mulher que amamenta tem melhor e mais rápida recuperação do parto, com a aceleração da expulsão da placenta e da diminuição da barriga. O aleitamento também traz benefícios para a família: é uma opção muito mais econômica e prática, porque dispensa a compra de leite, de mamadeiras e bicos, além de eliminar o trabalho com aquecimento e limpeza de mamadeiras.

Copyright © 2001 eHealth Latin America

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: