Publicidade

Notícias de saúde

Muitas Mulheres Continuam Fumando e Bebendo na Gravidez

Por Suzanne Rostler

NOVA YORK (Reuters Health) - Muitas mulheres que consomem bebidas alcóolicas e fumam cigarros largam seus vícios durante a gravidez. Mas um número significativo ainda arrisca sua própria saúde e a saúde de seus filhos ao não deixar de beber e a fumar, afirmam pesquisadores norte-americanos.

As descobertas, publicadas na edição de novembro de Obstetrics and Gynecology, destacam a necessidade de esforços para prevenir que mulheres comecem a fumar a consumir álcool.

O fumo e o consumo de bebidas alcóolicas durante a gestação pode causar parto prematuro e aborto espontâneo, disse Shahul H. Ebrahim, dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), em Atlanta, Geórgia, à Reuters Health.

Esses vícios também podem fazer com que a criança tenha baixo peso ao nascimento, levar a problemas de desenvolvimento e comportamento e retardo de crescimento, aumentar a suscetibilidade do recém-nascido a infecções e causar síndrome alcóolica fetal.

Ebrahim afirmou que o conhecimento dos riscos não implica, necessariamente, em uma mudança de comportamento. O aconselhamento e drogas antitabaco podem ajudar mulheres que estão grávidas a parar de fumar e médicos que cuidam de mulheres devem pesquisar a dependência de substâncias.

Ebrahim acrescentou que mulheres que não conseguem largar o cigarro ou a bebida devem ser aconselhadas sobre formas para adiar a gravidez através de contracepção.

"A prevenção fundamental do abuso de tabaco e álcool durante a gestação só pode ser alcançada através da redução do uso por pessoas jovens", disse Ebrahim.

"(O uso) de álcool e tabaco não só afeta a gravidez, mas a saúde da mulher, incluindo sua capacidade de conceber e (a saúde) da criança que vive dentro dela."

A pesquisa de 11 anos realizada nos EUA com mulheres entre 18 e 44 anos descobriu que cerca de uma em sete mulheres em idade fértil que não estavam grávidas disse que usou álcool ou tabaco. A maioria -- cerca de 80 por cento -- largou ambos quando soube que estava grávida.

Ebrahim e sua equipe afirmam, no entanto, que "como mais da metade das mulheres não sabe que está grávida até depois da quarta semana de gestação, o potencial de expor um feto ao álcool ou ao tabaco sem saber é alto".

Entre 1987 e 1990, a taxa de gestantes que faziam uso de álcool e tabaco diminuiu de 5,4 por cento para 3 por cento.

Durante o mesmo período, a taxa de uso de álcool e tabaco entre mulheres que não estavam grávidas também caiu, mas desde 1990, as taxas de uso de álcool e tabaco entre mulheres em idade fértil permaneceu regularmente estável.

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: